sexta-feira, 30 de outubro de 2009

ESCLARECIMENTO

Sou candidato à Presidência do PSD de Matosinhos.
Dentro de dias irei apresentar a minha candidatura, a equipe que me acompanha e o programa que pretendemos realizar.
Neste momento, dirijo-me a si, apenas para repor a verdade.
Está a ser enviado aos militantes do PSD de Matosinhos um mail que me acusa de ter feito um acordo com o senhor Narciso Miranda para derrubar a Câmara e que me daria uma choruda avença como advogado da Câmara de Matosinhos.
Tudo isto é totalmente falso pelo que apresentarei queixa-crime contra o autor da calúnia e dos insultos ao meu Bom Nome.
Não fiz qualquer acordo com o senhor Narciso Miranda nem com o Dr. Guilherme Pinto.
Se ganhar, como espero, as eleições do PSD de Matosinhos não trabalharei para a Câmara de Matosinhos ou para qualquer empresa municipal em circunstância alguma.
Portanto não farei qualquer avença com a Câmara de Matosinhos.
Se for eleito Presidente do PSD de Matosinhos serão os Militantes do PSD de Matosinhos, em Plenário, a decidir qual a estratégia a seguir. Não serei eu, não será a Comissão Política, mas também não será este ou aquele senhor, por mais ilustre que se considere a ele próprio.
Comigo, quem vai decidir serão os Militantes do PSD de Matosinhos.
Como disse, recorrerei à Justiça para defender o meu Bom Nome e a minha Honorabilidade. Confio que a Polícia Judiciária conseguirá identificar o cobarde que me insultou e pôs em causa a minha seriedade.
Sei que a minha candidatura assusta estas pessoas, que sabem que comigo o PSD de Matosinhos não fará negócios nem negociatas. Assusta e incomoda estes cobardes, que não dão a cara quando escolhem o caminho da difamação e do insulto. Não descansarei enquanto não conseguir condenação judicial destes cobardes.
Estou certo de que os Militantes do PSD de Matosinhos jamais se deixarão levar por estas atitudes e comportamentos inqualificáveis de quem apenas parece querer defender um qualquer tacho.
Receba os meus melhores cumprimentos e as minhas saudações sociais- democratas

Pedro Vinha da Costa

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

ÚLTIMA HORA

NESTE MOMENTO O PSD/MATOSINHOS ESTÁ A VER-SE AO ESPELHO.

MARAVILHAS DA NOSSA TERRA

A Broadway de Matosinhos Sul.

terça-feira, 27 de outubro de 2009

O VISIONÁRIO


"Eu vejo Perafita cruzada por duas grandes auto-estradas, uma refinaria a investir 600 milhões de euros, uma orla costeira de dois quilómetros e meio em plena fase de valorização, vejo o maior aeroporto do noroeste peninsular com números de crescimento em contra ciclo com a economia, vejo um Hospital do Futuro, vejo um futuro lar de 3ª idade, vejo a entrada de grandes superfícies como, por exemplo, a Decathlon, vejo na saída da Tertir uma oportunidade fantástica de reconversão económica e vejo na terra onde desembarcou D. Pedro IV o embarque diário de milhões de Magalhães para todo o mundo. "

Rui Lopes, presidente da junta de Perafita, in "Matosinhos Hoje"

O SILÊNCIO DOS INOCENTES

Não, não vou falar de Jody Foster a multifacetada actriz que deu vida a esse grande filmeprotagonizado por um outro multifacetado actor Sir Anthony Hopkins. O título do filme é de facto intrigante e polémico, existirá de facto o canibalismo, a Ideia de se comerem uns aos outros é de facto arrepiante… De um momento para o outro, na nossa cidade, o silêncio é total.As reuniões acabaram, as ideias esgotaram-se, as iniciativas foram canceladas, os famosos churrascos deram lugar a uma dieta profunda. Pergunta-se: o que é que se está a passar? Confesso que não sei, estranhamente o meu telemóvel toca somente para eu não me esquecer de passar pela padaria e comprar o pão, esse bem tão necessário no nosso dia-a-dia. Começo a ter saudades dos churrascos, do buzinar dos carros, dos debates, dos bailaricos, das intervenções, do megafone. Como no futebol, agora é nos corredores, com ou sem árbitros, não se olha a meios para atingir fins.Vamos colaborar?Queres colaborar?Vou contigo?Posso contar contigo? Espera mais um pouco!Depois falo contigo!Tem calma!Aguenta um pouco! Por um lado é bom que ninguém se “coma”, afinal a digestão seria difícil, aliás acho mesmo que em muitos casos a digestão daria lugar à congestão.

JOSÉ MODESTO

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

UM BARCO NA CIDADE

Última semana em cena de "Um Barco na Cidade", espectáculo inédito do Seiva Trupe sobre a história e as lendas de Matosinhos. De quarta a domingo, no renovado Constantino Nery. Imprescindível. Espero que haja o bom senso de gravar um dos espectáculos e de colocar as imagens no "tube".

PS - Pelo que tenho percebido há uma grande dififuldade em conseguir bilhetes porque estes têm sido enviados em lotes para determinadas associações. Se é assim, é lamentável. A lotação do teatro é curta e não pode ser "adjudicada" a interesses políticos. Vou ver o que se passa, tentando comprar esta semana o meu bilhetinho...

domingo, 25 de outubro de 2009

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

A EXCLUSÃO


A expulsão de Narciso Miranda de militante do PS está na ordem do dia.

Só estranhei que o processo não tivesse sido espoletado mais cedo. Mas, pelo visto, o PS não quis dar a Narciso a oportunidade para se vitimizar mais ainda.

Em nome do que chamam "disciplina partidária", e borrifando-se para os princípios mais elementares da democracia, os nossos partidos arvoram-se no direito de expulsar os seus militantes que ousam exercer alguma cidadania, não percebendo que o que está em causa nas eleições autárquicas não é uma lógica partidária mas sim uma lógica civil e etnográfica.

Narciso Miranda respeitou a decisão do seu partido quando este entendeu que o candidato à câmara de Matosinhos, há 4 anos, fosse Guilherme Pinto. E até apoiou o seu ex-delfim. Quatro anos depois, decidiu protagonizar um movimento de cidadãos. Graças a ele, o PS conseguiu o seu melhor resultado de sempre em Matosinhos, com mais de 70% dos votos!

Resultado: castigo.

De facto, os nossos partidos, e em especial o PS, continuam sem entender que não pode haver machado que corte a raiz ao pensamento. E por isso mesmo é que insistem em decepar cabeças. Pouco se importando que tenha sido graças a algumas dessas cabeças que durante anos e anos conquistaram votos e influência.

É um espectáculo lamentável.

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

TÁ FEITO

O PS vai governar a câmara de Matosinhos com o apoio do PSD. O acordo foi hoje conseguido entre os dois Guilhermes. Não se sabe ainda se os laranjas vão ter pelouros efectivos ou se vão dirigir as empresas municipais. Ou nenhuma destas coisas. O PSD conseguiu resistir ao canto da sereia e finalmente tomou uma atitude sensata. Antes um acordo assim, às claras, que as "cooptações" que eram táctica de Narciso Miranda. Os quatro vereadores do movimento independentes ficam, assim, a falar sozinhos. O desafio agora passa por ver até onde Narciso vai resistir em funções ou se vai mesmo assumir o cargo. Esperemos para ver.

VOTO NULO

Disseram-me que o resultado das eleições em Matosinhos ainda está em banho-Maria, no tribunal cá do burgo. Tudo porque uma diligente delegada reteve durante algumas horas as urnas, só as apresentando no tribunal tarde e a más horas. Será que vai haver escandaleira?

domingo, 18 de outubro de 2009

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

EM BREVE


MANUEL SEABRA, deputado da nação e chefe de gabinete de António Costa na câmara de Lisboa, antigo presidente da Câmara Municipal de Matosinhos, vai esmiuçar o sufrágio aqui no Pdl.

O IMPARÁVEL EM ANGOLA


Benguela, Malange e Cabinda são as próximas etapas de Narciso Miranda por terras angolanas, onde está a convite do ministério do urbanismo e habitação. "Angola tem um programa muito ambicioso na área da habitação", disse Narciso, o guru da nova política dos dirigentes angolanos, que têm muita barraca para demolir pela frente...

A FAMÍLIA


[Pediu-me o ilustre administrador do Porto de Leixões um comentário aos resultados eleitorais no concelho de Matosinhos. Aqui fica. Podem ler, mas no final não se queixem da perda de tempo]

E que tal começar por uma coisa verdadeiramente assustadora? O partido vencedor das eleições autárquicas em Matosinhos somou… 73,01% dos votos e elegeu nove dos onze vereadores. Uma coisa assim ao estilo de Oleiros (PSD, 75,16%) ou de Proença-a-Nova (PS, 76,56%), terras onde impera o pensamento único e a obra feita de um cacique qualquer.Está louco, pensarão alguns. Meteu-se nos copos, acrescentarão outros. Se assim pensaram, fizeram mal. Não vale a pena prosseguirem no caminho da intriga e da calúnia. Então a soma do resultado do socialista “do aparelho” (42,31) com o do socialista “do coração” (30,70%) não é isso (73,01%) que dá? As faces da moeda estão sempre de costas voltadas, mas não deixam de ser faces da mesma moeda...Se quiserem, em vez de metáforas posso dar exemplos: alguém conseguiu distinguir uma divergência política de fundo entre Guilherme e Narciso durante a campanha eleitoral? Não me refiro obviamente a considerações filosóficas sobre transparência ou modernidade, nem a trocas de galhardetes que fazem lembrar as peixeiras da lota. Refiro-me a políticas concretas. Daquelas que fazem o dinheiro mexer.Não foram ambos responsáveis pela política de betonização de Matosinhos-Sul, esse massacre em forma de quarteirão, em detrimento da criação de um espaço urbano harmonioso? Não são ambos responsáveis pela transformação da Câmara e das empresas municipais em agências de emprego, fontes inesgotáveis de contratos sem concurso e de controlo de clientelas? Não são ambos responsáveis pela misturada entre política e futebol, ao ponto de transformar a Câmara em accionista e portanto proprietária de passes de futebolistas? E para que não pareça que vivemos num Inferno, não foram ambos líderes autárquicos vocacionados para as políticas sociais, para o investimento na educação, para a promoção da cultura, que fizeram de Matosinhos um dos concelhos da Área Metropolitana do Porto com melhor qualidade de vida?Veja-se pelo lado que se queira ver, negativo ou positivo, são faces da mesma moeda. Por isso a primeira preocupação, a de nestas eleições ter soçobrado a diversidade em favor do pensamento único da família socialista [mais família que socialista]. Mesmo que o PSD se tenha limitado a tentar colonizar Matosinhos com uns marcianos de Gaia, mesmo que a CDU tenha sido vítima de si mesma e da bipolarização, mesmo que não tenha dado para fixar sequer o nome do bloquista, mesmo assim, um pouco mais de diversidade não faria mal a ninguém.À parte estas teorias mais ou menos disparatadas, ganhou Guilherme Pinto, perdeu Narciso Miranda. Guilherme Aguiar serviu de bombo ou bobo da festa (escolham vocês) e Honório Novo pode dedicar-se em exclusivo à Assembleia da República, como aliás pretendia. E o que aconteceu aos votos que eram normalmente colocados no quadradinho do PSD e da CDU? Dividiram-se. Uma pequena parte terá sido desviada para Narciso, a maior parte terá optado pelo chamado voto útil ao contrário, ou seja, votou no PS “oficial” para derrotar o PS “oficioso”. O povo, comprova-se mais uma vez, é pouco dado a regressos messiânicos.Teorias sem pés nem cabeça? É como todas…
RAFAEL BARBOSA, jornalista do JN

A VASSOURADA

Dizem-me que nunca, como na passada segunda-feira, os funcionários da CMM andaram tão contentes...

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

A ALIANÇA

Parece que vai ser um processo tranquilo.
O PSD vai colaborar com o PS e assegurar a governabilidade da câmara, em última instância garantida pela maioria socialista na assembleia municipal.
Guilherme Aguiar já disse, publicamente, que quer colaborar. Iremos vê-lo, certamente, à frente de um pelouro ou numa empresa municipal.
O PSD só tem, agora, de tentar reduzir os estragos desta estrondosa de derrota. Ao incorporar-se no projecto de Guilherme Pinto dá um primeiro sinal de inteligência. Uma aliança à esquerda seria somar ao desastre a catástrofe.
Matosinhos merece o melhor.

terça-feira, 13 de outubro de 2009

VIAGENS NA MINHA TERRA


O título garrettiano promete. Quanto ao resto, já todos sabemos que as crónicas faladas e mostradas de Joel Cleto são uma delícia. Mas, por favor, não com o comparem com o Saraiva

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

PICA PAU TEM CEDILHA?

«um contributo de Jorge Reis O RENOVADO PRESIDENTE DA CÂMARA DEVIA COLAR ESTE CARTOON NO SEU GABINETE.

CARLOS OLIVEIRA TAMBÉM GANHOU

Uma presença discreta na hora da festa. Para Carlos Oliveira e o Leixões a reeleição de Guilherme Pinto era um imperativo. Cumpriu-se o desejo. Serenamente.

ESMIÚÇANDO O SUFRÁGIO


Vamos então aos números.

O PS não ficou longe da maioria absoluta mas acabou por ser penalizado pela forte transferência de voto do PSD/CDS para a candidatura de Narciso Miranda, esta coligação deu à morte Guilherme Pinto mas acabou perdida no seu labirinto. Não sei o que disse Guilherme Aguiar desta derrota. No lugar dele não dizia nada e ficava apenas à espera de um telefonema de Guilherme Pinto...

Lamentavelmente, o PCP perdeu o seu vereador. É uma injustiça. Há muitos anos que esta força se afirmava, no executivo, como uma oposição activa e atenta. Não sei para onde foram os seus votos mas suspeito que reforçaram a candidatura do poder, o que não deixa de ser irónico.

Na eleição para a Assembleia Municipal, onde são aprovados os grandes projectos para Matosinhos, Guilherme Pinto conseguiu 14 mandatos, Narciso 10, o PPD 7, com PCP e Bloco a somarem um vereador cada uma das forças. Mas como os presidentes de junta eleitos têm assento na assembleia, o PS sobe de 14 para 23 mandatos e fica com uma maioria absoluta que vai dar muito jeito.

Nas freguesias, Rui Lopes foi o campeão do PS, com 46,7% dos votos, deixando a senhora da farmácia a quase 23 pontos! Fantástica performance...

Desta vez António Parada teve de se contentar com o 2.º lugar. Comandou largamente nas mesas de votos dos mais novos mas foi penalizado nas mesas dos quotas. Ainda assim, 44,9% é um bom resultado, deixando Crispim nos 28,2%.

O PS apenas perdeu Lavra. Mesquita não dá chances a ninguém e ganhou com 41,44%, em completo contraciclo com a débacle do seu partido.

Só na Senhora da Hora, em Leça da Palmeira e Leça do Balio o PS não conseguiu mais de 40% dos votos. Mas ganhou. Pedro Sousa, no lado norte da cidade de Matosinhos, deu dez pontos de avanço a Abel Soares e Araújo aguentou-se bem no mosteiro (38,52). Bom resultado também para o PS em Guigões, com 44,41%, enquanto em Santa Cruz, a freguesia com menos votantes, a média da freguesia foi também superior à percentagem da câmara (43,9%). Na Senhora da Hora, Alexandre Lopes deu luta mas não chegou, pois o PS ganhou com o seu pior score (33,5). Também foi aqui que o PSD conseguiu o seu melhor resultado (22,1%) e o facto de não ter transferido para a candidatura independente tantos votos como na câmara acabou por ser, na minha perspectiva, decisivo. Lopes tem de mudar de óculos.

Falta falar só em S. Mamede. Uma vitória tranquila (40,36%), com mais 15 pontos de avanço que a concorrência.

Lendo os resultados, dá para perceber que o score de algumas freguesias se transferido para a câmara daria ao PS maioria absoluta. Guilherme Pinto ficou a saber mais uma vez que tem de continuar a apostar nos fregueses, pois aí é que está o país profundo...

O BASTIÃO

Está por escrever a história de Guilherme Vilaverde. O homem das cooperativas domina as bases do PS e continua a ser uma referência para as elites. O trabalho que desenvolveu e o apoio incondicional que deu à candidatura que também protagoniza foram factores importantes. Vilaverde era, no fundo, quem melhor conhecia o adversário. E está visto que este tipo de conhecimento é sempre essencial na preparação da refrega.

NUNO OLIVEIRA, O ESTRATEGO

O rosto de uma campanha de sucesso é este: Nuno Oliveira. O jovem vice-presidente conseguiu, com cerca de 250 mil euros, fazer milagres. A sua inclusão nas listas esteve em dúvida, em nome de um doutoramento, e o facto de ter decidido continuar foi decisivo. Foi a sua cabeça que definiu a estratégia e que congeminou as contra-medidas, mostrando também no campo da política pura e dura que é o Sr. Competência. No que diz respeito às finanças da câmara já não é novidade dizer-se que gere os dinheiros públicos como se estivesse a gerir o seu dinheiro. Obviamente com sentido de serviço público e sem contas paralelas.

domingo, 11 de outubro de 2009

ESTA NINGUÉM LHE TIRA

Uma vitória expressiva que confirma Guilherme Pinto como o presidente da Câmara Municipal de Matosinhos até 2017.
O resultado conseguido pelo PS (42,31%) é excelente. Tenha-se em conta que nas últimas autárquicas, quando Narciso apoiou a candidatura de Guilherme Pinto, o PS conseguiu 47,27% dos votos, ou seja, apenas mais 5%. O efeito Narciso Miranda foi, por isso, quase residual no bastião socialista de Matosinhos. A candidatura independente perdeu por 10.246 votos. Não houve margem para dúvidas. É certo que o PS perdeu a maioria absoluta mas o mais importante foi ter ganho esta batalha. A luta foi desigual sobretudo ao nível dos orçamentos de campanha e a ponta final alucinante. Narciso terá ainda acreditado que era possível e pôs todas as cartas na mesa. Não deu. Tem agora pouca margem para continuar a ser protagonista da política local (da nacional já desapareceu há muito do mapa). Ele garante que, depois de dez dias em Luanda, onde vai dar umas conferências, vai voltar para arregaçar as mangas e assumir o cargo de vereador. Veremos se será mesmo assim. Como já disse muitas vezes, de Narciso é de esperar tudo. É uma força da natureza e o Guilherme Pinto tem de começar a mentalizar-se para o facto de passar a ter um "chato" dentro das quatro paredes da Casa Amarela. Mas para já merece fruir esta vitória. Uma grande vitória que terá de estimar e de proteger nos próximos quatro anos, se quiser ser presidente da Câmara Municipal de Matosinhos até 2017, para dar então lugar a António Parada.

É HOJE

Que Matosihnhos tem a sua primeira grande oportunidade para se afirmar como uma terra de gente sensata.
Que Matosinhos pode acabar de vez com a intriga e a baixa política.
Que Matosinhos pode afirmar, pelo voto, que afinal vale a pena a democracia.
Que Matosinhos pode ser dos matosinhenses.
Que Matosinhos pode definir um rumo.
Que Matosinhos pode atingir a sua maturidade cívica.
Que Matosinhos pode dizer "somos diferentes"

Se pode ou não, às 19 horas veremos.

Espero bem que seja capaz de se afirmar pela positiva. Sem vencedores e vencidos e na certeza de que quem ganha nem sempre é quem depois vence.

sábado, 10 de outubro de 2009

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

PARA REFLEXÃO




Amanhã é o chamado dia de reflexão.
Os matosinhense podem ponderar em quem vão votar. Não acredito que o façam, acredito mais que aproveitem o tempo para ir ao hipermercado. Mas isso é com cada um.
Antecipo aqui a reflexão, talvez uma introspeção, para falar um bocadinho de cada um dos candidatos.

GUILHERME PINTO - Aos 50 anos, este advogado nascido na Rua Comendador Ferreira de Matos e criado no mercado de Matosinhos, onde a sua mãe tinha uma banca de louças e artesanato, é um filho da terra com larga experiência política ao nível local. Também passou pela Assembleia da República e parece que Jorge Sampaio gostou muito da qualidade do seu trabalho e também da sua entrega. Aliás, quem trabalha com Guilherme Pinto reconhece facilmente a sua disponibilidade e a forma como se "dá" às causas que abraça. Vereador do ambiente durante algum tempo, foi autor de alguns importantes projectos nesse campo e também na restauração de algum património. A "exclusão" de Manuel Seabra deixou-o inesperadamente com caminho aberto para um cargo a que se calhar nunca aspirou mas que assumiu com o mesmo espírito que revelou enquanto "homem que vereia", ou seja, que cuida dos caminhos. Formou uma equipa onde misturou juventude com experiência e no geral acertou. Nuno Oliveira revelou-se um bom gestor, Correia Pinto fez um bom trabalho na educação e Fernando Rocha surpreendeu na cultura. Mais, conseguiu a proeza de "agarrar" todos os elementos da sua equipa, não permitindo que se passagem para a candidatura de Narciso Miranda. O que revela não apenas a lealdade dos mesmos mas também que gostaram de trabalhar com GP. Os funcionários da autarquia dizem-me o mesmo, ou seja, que GP não se põe em bicos de pés, que trabalha bastante e que não maltrata ninguém. Pode parecer pouco mas considero que é muito. Por tudo isto, GP surge legitimamente como grande candidato à reeleição. Não é o PS que está em causa, é sobretudo a qualidade da equipa de Guilherme Pinto. Ter conseguido dar este salto quântico já é proeza.

NARCISO MIRANDA - 26 anos e um mês como presidente da Câmara e mais três como vereador da equipa do saudoso Mário Maia, o Dux de Bouças é uma força da natureza. Não foi propriamente o civilizador de Matosinhos mas muito do que foi feito no concelho nos anos 80 e 90 tem a sua marca. Viciado no trabalho também, Narciso conseguiu formar grandes equipas e acabou por criar filhos que mais tarde ou mais cedo se revoltaram com o pai. Todos passamos por esta fase na vida mas o normal é depois tudo estabilizar. Não foi o que aconteceu também porque na política tudo é diferente. Os onze meses que passou em Lisboa, depois de aceitar uma secretaria de Estado obscura, acabaram por estigmatizar a carreira política de Narciso Miranda. O caso da Lota apenas ajudou à festa. Derrotado por três vezes por Manuel Seabra na concelhia de Matosinhos, Narciso perdeu o pé na sua própria casa e dou de barato que tivesse sido vítima de algumas traições. Também fez por isso um bocadinho. É impossível não se gostar de Narciso e eu não fujo à regra. O Dux sabe que nunca lhe pedi nada, que nunca esperei nada dele e que sempre disse o que pensava sobre a sua figura, com alguns devaneios que hoje considero desnecessários. Mas nem por isso ele perdeu a compostura e, uma vénia lhe faço, sempre me tratou com respeito. O sentimento é recíproco. Não sei se Narciso vai ganhar ou perder no próximo domingo. Sei que mesmo ganhando já perdeu alguma coisa. Narciso Miranda tem o seu nome associado à história de Matosinhos e não percebeu que há um tempo para tudo. Aos 60 anos, depois de uma vida intensa, podia ter chegado a hora de avançar para a última volta do circuito sem a obsessão de acabar em primeiro. A sua corrida está ganha há muito tempo. Por isso, tenho pena quando o vejo rodeado por apedeutas e oportunistas, numa guerra que apenas manchará um percurso que não está isento de erroso. Sendo o principal o facto de ter transformado a Câmara Municipal de Matosinhos numa agência imobiliária, agrupando néscios e vagabundos em bairros sociais e promovendo, a outro nível, a incompetência em alguns cargos municipais apenas porque sentiu que essas pessoas jamais o afrontariam e que lhe estariam gratos para o eterno. Mas, está visto, o eterno é bem efémero...

GUILHERME AGUIAR - A escolha do PSD/CDS foi absolutamente incrível. Também é verdade que estes dois partidos não conseguiram, nos anos da democracia, gerar massa crítica a nível local e temos visto um pouco de tudo em tempo de eleições, até um borrachola da capital foi candidato e o último cabeça de lista foi contratado no Trofa. Este foi em Gaia. Um comentador desportivo conotado com um clube e um vereador de Luis Filipe Meneses. A última das escolhas pois, é sabido, Marco António Costa ainda ponderou ser candidato em Matosinhos mas percebeu que dificilmente conseguiria vencer a Narciso e a Guilherme Pinto. Sobrou Guilherme Aguiar. A campanha que realizou foi um desastre, com uma sucessão de tiros nos pés, atrasos em acções de campanha e um discurso incoerente. Esperava mais dele mas percebo que se tenha perdido na malha do PSD de Matosinhos, um saco de gatos onde todos se arranham e ninguém sobressai. É um partido que não respeita os matosinhenses e que por estes não merece ser respeitado. O resultado de domingo vai confirmar isto mesmo.

HONÓRIO NOVO e FERNANDO QUEIRÓS - Dois comunistas juntos não se atrapalham, pois não. Já aqui falei muito de Honório Novo, que é claramente um político com dimensão de político. Está é no partido errado. Em Matosinhos e na Assembleia da Repúbica, Honório raramente parece um comunista a falar e surge sempre com uma luminosidade rara. Mas, claro, chega sempre a hora de vestir o fato do partido e de, obviamente sem gravata, recitar a cassete. Obviamente, os matosinhenses não são parvos e na altura de escolher entre Narciso e Guilherme desta vez irão votar útil. Lamento, caro, candidato, mas desta vez não votarei em si... Quanto a Fernando Queirós, está a começar enquanto o seu partido se está a consolidar. A sua meta é terminar à frente da CDU no próximo domingo e acredito que será possível, embora com um score que não chegará para eleger um vereador que elegeria com os resultados (12%) das legislativas...
PS - Um esclarecimento para um anónimo que veio aqui vomitar. Posso ser tudo o que diz que sou mas borrachola não sou e mesmo que fosse não seria mais nem menos que dois milhões de portugueses que andam por aí. Para a próxima informe-se melhor já que, presumo, até tem boas fontes.

CÃODIDATO

Tremam aqueles que já festejam.
Para além dos seus apoiantes nas redes sociais, Narciso Miranda conta com o apoio também do Bobby.
Tudo ainda é possível pois até o Maganinho está a ponderar dedicar o seu voto ao Dux.
Vamos ter duas noites muito mal dormidas pela frente...

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

RECORDAR É VIVER


Recordo que, no passado dia 16, Orlando Magalhães, anunciou uma sondagem que dava a vitória a Narciso Miranda com 36% dos votos, colocando o PS na casa dos 27%.

DOMINGO HÁ BAILE?


As sondagens não deixam margem para dúvidas.
Narciso Miranda vai falhar a sua rentreé na vida política activa.
Guilherme Pinto vai perder a maioria absoluta mas vence o braço de ferro.
Guilherme Aguiar confirma o desastre que é a estratégia política do PSD em Matosinhos.
Acredito que a extrema esquerda vai ter o seu vereador.
Só um milagre, e dos grandes, salvará Narciso Miranda. A melhor sondagem dá-lhe uma desvantagem de 12 pontos, a pior 18 pontos. É muito mau para quem tanto investiu.
Mas até ao lavar dos cestos há vindima.
Para os prosélitos de Narciso, chegou a hora de ajoelhar e rezar.
Para os de Guilherme Pinto, está a chegar a hora de reconhecer que atrás desta vitória anunciada está outro nome: o de Manuel Seabra.
Quer se queira, quer não foi ele o primeiro socialista matosinhense a ousar desafiar o Dux. Perderam os dois por KO mas foi desta forma que se proporcionou o momento único que possibilitou a ascensão de Guilherme Pinto. Cujo silêncio, durante o debate televisivo no qual Narciso Miranda pronunciou o nome de Seabra tentando marcar pontos, foi na minha modesta perspectiva francamente vergonhoso.

Mas a política também é isto. Ou é isto mesmo.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

O 12.º JOGADOR


Xuxialistas ortodoxos: não comecem já a atirar foguetes.


Tenham em conta o seguinte:

Narciso Miranda tem, segundo a sua candidatura, 969 amigos no Hi5, 1268 no Facebook, 229 no MySpace e 146 no twitter.

E PdL sabe que o "Rocket Man" vem a caminho...


SOFRE CORAÇÃO


Fui ludibriado. Afinal quem arrasa é Guilherme Pinto. Resultado ridículo para Guilherme Aguiar.

PS - 39%

Narciso Miranda - 27%

PSD - 22%

Bloco - 4%

CDU - 4%
Mais uma sondagem no prelo:
GP - 33 a 37%
Narciso - 28 a 32%
G.Aguiar - 19 a 23%
Não consegui confirmar mas parece que há uma outra sondagem que dá 40% a GP.
Isto hoje está de loucos. Mais uma sondagem que sai amanhã e PdL antecipa:
GP - 33%
Narciso - 26%
G.Aguiar - 23%
Mas, como diz um dos candidatos, a sondagem a sério só se faz no próximo domingo. Ficamos, porém, com a certeza que o PS perde pela primeira vez a maioria absoluta em Matosinhos. O que pode ser uma vitória de Pirro para Narciso.
Esperemos para ver se Matosinhos, no domingo, vota na tradição ou se vota no passado. E se Aguiar ainda consegue a medalha de prata...

ÚLTIMA HORA

Narciso arrasa nas sondagens oficiais!

VALE TUDO

Sob a vigilância da PSP, o carro de campanha de Pedro Sousa estacionou em cima do passeio, sobre a entrada do Pingo Doce de Leça da Palmeira. Vale tudo.

terça-feira, 6 de outubro de 2009

O ANIMAL FEROZ

BANHEIRAS


Contou-me uma fonte, que não a das sete bicas, que Narciso Miranda prometeu uma banheira a uma eleitora de um bairro social. E que desta forma garantiu mais um voto. É por estas e por outras que os seus adversários têm de temer sempre uma banhada no próximo domingo.

HOMEM PREVENIDO

António Parada adopta o traje oficial contra a gripe A.

A Escolha de Matosinhos

A Escolha de Matosinhos - Debates & Entrevistas, Eleições Autárquicas 2009

Shared via AddThis

CARAVANAS AUTO


Caravana de Guilherme Pinto. A questão agora, antes das sondagens a sério, parece ser: quem é que tem a maior caravana. Pelo pouco que vi, cheira-me a empate técnico.

NON STOP

Narciso também já tem autocarro!

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

TODO-O-TERRENO

Já aqui se disse, mas repete-se, que o dux não pode ser subestimado. É uma força da natureza à prova até de sondagens desfavoráveis. Quando mete alguma coisa na cabeça, investe. E não se importa de sujar os sapatos e macular o look casual. Ei-lo em plena selva urbana, tentando conquistar mais um voto. É esta tenacidade, este estilo, esta força...que aconselha prudência àquelas que começam a cantar vitória.

Cuidado, muito cuidado.

Enquanto todos estão a dormir, Narciso está no terreno. Todinho.

domingo, 4 de outubro de 2009

DESABAFOS

Embora seja um comentário de um anónimo, a propósito de uma posta sobre o programa da CDU, aqui fica para memória futura:

No comentário do Eugénio o que ressalta mais é o preconceito e a menorização da honestidade e do trabalho. Da honestidade, ao apresentar um programa, que é um compromisso, quando todos os outros, sim todos os outros, se ficam por alguns aspectos parciais sem levar em conta o Concelho no seu conjunto. Do trabalho porque não leva em conta que este programa resultou dum vasto conjunto de iniciativas em que participaram muitos independentes conhecedores da realidade da vida. E,também,do trabalho que foi desenvolvido neste como em anteriores mandatos. Mas honestidade e trabalho são valores que o Eugénio, como outros, parece não querer relevar. E assim se vai construindo o Matosinhos que alguns parecem querer, o da continuação do processo da lota ou o da importação de quem se confessa não conhecer bem o Concelho. Eu já optei em consciência e por Matosinhos, livre e sem estar à espera de qualquer proveito pessoal ou familiar seja qual for o vencedor do próximo dia 11...

ENCONTROS IMEDIATOS DE 3.º GRAU

Caminhos cruzados na cruzada da campanha. Pena ter sido uma réplica.

MENSAGENS DA MAFIA

Sem comentários (pelo menos meus...)

OS GRILOS CANTAM AOS DOMINGOS

Um leitor deste blogue mostrou aqui a sua indignação pelo facto de ter sido revelada a minha intenção de voto em António Parada, para a junta de freguesia de Matosinhos. Tem direito à sua indignação e a liberdade para deixar de passar por aqui. O mesmo direito tenho eu, enquanto cidadão, e é nesta simples qualidade que assino estes textos, de afirmar as minhas preferências. Não será melhor mostrar a cara que andar por aí nas zonas de sombra. Mais a mais, este blogue não vincula ninguém - começando pelo seu autor... Não é a primeira vez que me confronto com este tipo de "problema" e que me arremessam a questão do voto ser secreto. Só o é, repito, para quem quer que assim seja. No tempo da outra senhora é que não podíamos revelar as nossas preferências ou será que estou enganado? Bem, siga a rusga da campanha, agora com mais um incidente para discutir, com a CNE a remeter para o MP uma queixa de Narciso sobre a utilização indevida, por Guilherme Pinto, de suportes municipais para a sua campanha. Voltamos à questão da especulação imobiliária. Quem fala do que sabe tem mesmo de ser tido em conta.

BOM FIM DE SEMANA, MALTA

sábado, 3 de outubro de 2009

TESTE DO MERCADO

Guilherme Pinto passou no teste do mercado de Matosinhos. Era previsível pois conhece bem os cantos à casa, foi por ali que se fez gente e não a cultivar nabos e tomates em Paredes de Coura. Ao seu lado, os candidatos às duas principais juntas de freguesia: Pedro Sousa e António Parada. O candidato não precisou de fugir pela porta pequena como outros que por ali passaram e foram insultados. E depois prosseguiu a arruada na Brito Capelo. Neste momento janta ao lado de José Sócrates. Tudo boas notícias. Falta agora saber o resultado da sondagem, com voto em urna, hoje realizada em todas as dez freguesias do julgado de Bouças.

LEIRÓS CONTRATA JAPONESES

José Leirós, antigo árbitro que denunciou uma tentativa de suborno de um conhecido empreiteiro que opera fortemente em Matosinhos, contratou dois japoneses para colocar as suas tarjas nas ruas de Leça do Balio. Trata-se de dois sobreviventes de Iwo Jima recuperados dez anos após os violentos combates. Os dois japoneses sobreviveram nos túneis do extinto vulcão Suribachi graças a latas de conserva da Ramirez e decidiram homenagear também esta marca quando aceitaram o convite de Leirós para este tipo de acrobacias.

REBATE FALSO

O candidato independente à Câmara Municipal de Matosinhos Narciso Miranda prometeu, ontem, arrancar os "outdoors" a anunciar "obras virtuais" e construir no seu lugar esquadras de polícia.
dos jornais de hoje

Por breves momentos julguei que, finalmente, a candidatura de Narciso Miranda ia ter algum respeito pelos matosinhenses, retirando das ruas a poluição visual que as tem sujado nos últimos meses.

Mas não. Está visto que espero sempre muito dos outros.

O PROGRAMA DA CDU


A CDU foi a única força política que me fez chegar ao email o seu programa para Matosinhos. Trata-se de um documento bem feito no qual ressalta de início a obsessão dos comunistas com os ultra comunistas, ou seja, com o Bloco de Esquerda. Lembra a CDU que nas últimas autárquicas o Bloco estava à sua frente nas sondagens e depois quedou-se na quarta posição, sem vereador. Quer-me parecer que desta vez será muito difícil a CDU conseguir ir muito para além dos 9,17% dos votos conseguidos nas últimas eleições. Entrar na casa dos dois dígitos será histórico mas, quer-me parecer, para o Bloco de Esquerda! Não o conseguirá propriamente por inércia, pois parece que o deputado municipal Fernando Queirós foi muito combativo nos últimos quatro anos, mas um pouco à boleia da dinâmica do BE em todo o país. Mas essa é outra guerra. Lendo o programa da CDU dá para perceber que houve o cuidado de fazer o diagnóstico da situação económico-social de Matosinhos antes de partir para as alarvidades do costume. É algo que apena fica bem aos nossos comunistas. Porém, mais adiante também é possível vê-los a defender projectos que não passam minimamente pela esfera da autarquia (o alargamento da Via Lenta, por exemplo, prometido há dez anos por Narciso Miranda...) ou a intervenção em áreas afectas à APDL, à Petrogal ou ao Aeroporto do Porto. Ok, o que conta é intenção e acredito que os nossos comunas vêm por bem. Chama ainda a CDU o papel de "única oposição" na vereação e tem toda a razão pois há largos anos que o PSD, de forma até abjecta, se vem colando ao poder após as eleições, do que resultam mesmo transferências para os socialistas, cargos em empresas municipais e outras benesses. Aliás, é fácil perceber a presença de muitos laranjas com peso no partido, a nível local, na entourage de Narciso Miranda. É esta a "confiança" que o PSD de Matosinhos tem conseguido transmitir aos seus eleitores... Não posso concordar com a CDU, será melhor dizer PCP pois a coligação é uma forma de esconder atrás da melancia a foice e o martelo, quando critica a instalação da PSP num contentor em Leça da Palmeira - meus amigos, a presença efectiva da PSP já tinha sido prometida há muito tempo para a zona norte da cidade de Matosinhos e agora que aconteceu o problema é do hardware e não do software. Haja bom senso. Insurge-se ainda a CDU, ou PCP amelanciado, com o facto de a CMM ter contraído um empréstimo de 5 milhões de euros. Ora bem, só quem não conhece a realidade é que pode dizer que a CMM se hipotecou. 5 milhões é uma migalha, sobretudo se comparado com o nível de endividamente de outras câmaras, algumas já em gestão controlada. Isto é querer pegar de cernelha o que não se pode agarrar pelos cornos. O problem da CMM não é de finanças, o problema da CMM é um problema de execução e de ideias. Ora pode executar-se e não há ideias. Ora há ideias e não se pode fazer. Às vezes, por fortuna, junta-se o bom ao óptimo. Concordo plenamente com a CDU, ou PCP, quando toca a questão das guerras intestinas (mais do grosso que do delgado) do PS e relembra que em 2003 Luísa Salgueiro, Fernando Rocha e Guilherme Pinto estavam incondicionalmente ao lado de Narciso Miranda e contra Manuel Seabra. Pois é, é a porca da política mas ninguém pode criticar ninguém por ter tido uma REVELAÇÃO. Terá sido o caso. A CDU afirma-se ainda como único alternativa política e se calhar tem razão. O PSD jamais será nas condições em que opera em Matosinhos e o Bloco de Esquerda está ainda verde. Mas o facto de ter a única alternativa não quer dizer que seja a alternativa... Honório Novo gosta de termos fortes e fala de "pântano político" em Matosinhos. Mais uma vez exagerou. Não é um pântano - trata-se apenas de um lameiro... Propõe ainda a CDU, ou PCP, a extinção das empresas Matosinhos/Sport e Matosinhos/Habit. Sobre a segunda não posso falar pois nunca tive casa chave na mão e condomínio pró Batalha. Sobre a primeira posso dizer que estou muito satisfeito: desfruto de uma das sete piscinais municipais com qualidade e a minha filha já fez férias muito giras sob essa estrutura. Para quem nunca teve nada do município, para além de uns livros que o F. Rocha de vez em quando tem a atenção de me oferecer, já foi alguma coisa. Só para terminar, a CDU propõe-se ainda isentar empresas de taxas de derramas em nome da recuperação da economia mas mais uma vez entramos num campo escorregadio. Como todos sabem, uma câmara pode apenas dar uma ajuda nesta matéria que é de exclusiva responsabilidade do poder central. Quando muito, uma câmara pode propor a criação de parques industriais e faciliar, como aconteceu, e muito bem, com a JP Sá Couto, a vida de empresas que geram emprego e que se distinguem aqui e na Venezuela. José Pedro Rodrigues e Honório Novo merecem o melhor e mais uma vez obrigado pela atenção. É bom sentir que o comunista ao nosso lado até é um tipo porreiro.

MULTIÓPTICAS

O dux em versão kitada, nas ruas de S. Mamede.

ARRUADA


Rui Lopes, candidato à junta de Perafita, foi tomar um café ao Mar à Vista, onde foi bem recebido pelos sócios do clube do sr. Alberto Salgueiro, a grande figura da Aldeia Nova. E pôde verificar que finalmente a rua tem saneamento, uma promessa de antanho concretizada no início do ano. Ali bem perto, Narciso era esperado no Rochedo para mais uma jornada de confraternização. Pelo menos foi o que me disse o dr. Alírio, que andava por ali...

EU VOTO NO PARADA

António Parada obviamente já está em movimento. Aliás, penso que ele nunca parou. O presidente da junta de freguesia de Matosinhos numa arruada na sua freguesia. Podem ficar a saber que vou votar nele (e não, caro apedeuta anónimo, o voto não é secreto nem é segredo, pelo menos para quem não come da gamela da política).

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

MAIS UM DEBATE

Terminou agora na RTP-N mais um debate. Este mais curso (50 minutos) mas mais impressivo, mais profissional. Desta vez não se discutiram finanças mas o PDM. Todos nós sabemos que o PDM tem sido uma arma de arremesso dos nossos autarcas - nem eles sabem o que é isso e muito menos querem saber. Acabemos com a hipocrisia: o PDM é apenas uma figura de retórica, é nos planos de pormenor que tudo acontece, é aí que terrenos que hoje valem 10 amanhã passam a valer 100. Eis o busílis da questão. Muito engraçado foi também ouvir o presidente e o ex-presidente falarem de especulação imobiliária. Esta só podia provocar mesmo uma grande gargalhada. Sempre que alguns senhores falam de especulação imobiliária deviam engolir esse vómito. Ou então jamais ousar falar do assunto.Depois de dois debates, de que se falou? Das finanças da Câmara - que está longe, muito longe, de uma situação crítica -, de planos directores e de obras sociais. Até Honório Novo caiu na esparrela de prometer a legalização dos clandestinos - ora, digo eu, todos sabemos que legalizar clandestinos não é mais nem menos que legalizar a ilegalidade, é entregar de mão beijada a quem se borrifou para a lei aquilo que outros tiveram de pagar. Poupem-nos a este desaforo. Curiosamente, ninguém, nem Guilherme, que tinha razões para isso, falou de de cultura. Quando é certo e sabido que se há um trabalho bem feito em Matosinhos nos últimos anos é nessa área. Primeiro com José Manuel Dias da Fonseca, numa forma que alguns classificam como elitizante, e depois com Fernando Rocha, uma surpresa nessa área. O trabalho que se fez na biblioteca municipal e no departamento de história e arqueologia é notável e se mais não se fez foi porque não se afectaram mais verbas para estas áreas pois, lá está, continua-se a pensar que é mais importante dar apartamentos a marginais ou facilitar a vida dos promotores imobiliários. É lamentável Guilherme Pinto não ter sido capaz de citar tudo o que se bom foi feito, no seu mandato e no anterior, nesta área. De Narciso Miranda, confesso, não estava à espera que conseguisse chegar tão longe, embora ninguém lhe possa roubar o mérito de ter dar corda aos seus vereadores para semearem este terreno. Guilherme Pinto foi o presidente da câmara que conseguiu, finalmente, reconstruir e pôr a funcionar o teatro Constantino Nery. O que aconteceu? Esqueceu-se.
Ainda sobre o debate, não será preciso dizer muito sobre o número final de Narciso Miranda ao mostrar o boletim de voto com o seu coração. Teve o realizador o bom senso de afastar a câmara e Fernando Queirós a coragem de mandar calar Narciso. Os matosinhenses não mereciam ser reduzidos à condição de apedeutas pelo homem que num destes debates se proclamou, mais uma vez, como o civilizador deste terra.
Tudo isto é triste mas é o nosso fado: não merecemos, de facto, ser respeitados por aqueles que validamos no poder e que raramente nos respeitam.

O PARADIGMA PERDIDO

Ainda o debate.
A determinado momento, a questão centra-se na habitação social.
É consensual. Todas as forças partidárias querem construir mais ilhas ao alto ou nem por isso. Até Guilherme Pinto, que nada tinha construído no seu mandato, foi ontem lançar a primeira pedra de mais um conjunto de habitações sociais.
Não sei quantas casas se entregaram, nos últimos 30 anos, de mão beijada, a indigentes, traficantes de droga e outros inúteis sociais. Aqueles que realmente trabalham e que têm moral podem estar a ser metidos neste saco mas não têm culpa nenhuma pelo facto de terem sido atirados para ninhos de marginalidade.
É esta a obra do chamado poder autárquico democrático: com o dinheiro dos impostos de quem vai à luta, promover a indigência e desqualificar determinado locais, como aconteceu com o centro de Perafita!
Enquanto for este o paradigma, meus amigos, não vale a pena.
O melhor é mesmo deixar as caravanas passarem. E aproveitar o domingo para ler um bom livro ou para ir à praia com a família aproveitar o que sobra do estio.

É tudo muito deprimente.