sexta-feira, 31 de maio de 2013

Grau zero



Guilherme Pinto conseguiu mais um voto.

Está imparável.

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Bate Lev, levemente

Confesso que me senti tentado a espreitar o LEV deste ano, que regressou assim subitamente, depois de ter sido suspenso por razões orçamentais que presumo já foram superadas (se não for assim, passo a presumir que alguém descobriu petróleo fora da área da Petrogal). Mas desisti quando percebi que uma das vedetas convidadas era a senhora Pilar del Rio e, mais grave ainda, presente para falar de iberismo. Ora, se bem estão lembrados, a Península Ibérica não inclui a ilha de Lanzarote. Não sei o que a senhora disse mas presumo que deve ter sido mais do mesmo, ou seja, a tradicional azia de quem se sente acima dos outros e nunca devia abandonar a ilha onde se exilou. Mas nem preciso de adivinhar que a sua presença foi um enorme sucesso e que todos os presentes lhe bateram palminhas. Na parte que me toca, fiquei a dormir. E não me arrependo.
 


Narciso vai assistir de palanque à chacina

Narciso anunciou, através de um dos fundadores deste blogue, aliás o mesmo que lhe deu o título, contra a vontade deste que continua a carregar com isto às costas, que não será candidato nas próximas autárquicas. Vai, por isso, assistir de palanque à chacina anunciada. Isto é, se António Parada não pensar já que está no papo, aceitando fazer um refresh na comandita que o acompanha, sedenta do tal tachinho. Parada precisa de subir o nível se não quiser ter uma surpresa desagradável embora nestas eleições seja uma proeza o candidato do Partido Socialista não ganhar. Mas como já todos vimos um porco a andar de bicicleta e um candidato presidencial a voar na lota de Matosinhos...

terça-feira, 21 de maio de 2013

Desplante

Há coisas que só vendo a gente acredita. Eis que a campanha do independente Guilherme Pinto faz questão de fotografar a carrinha da propaganda com a câmara municipal por fundo. Presumo que a campanha prossegue junto dos Paços do Concelho. Falta saber se subsidiada também por verbas públicas. Com um bocado de jeito a carrinha até tem lugar de estacionamento na garagem de uma câmara onde todos os eleitos pelos PS para a vereação se demitiram do partido mas não se demitiram de funções. O PS de Matosinhos tem, afinal, aquilo que merece. Por isso é que o ambiente é selecionado. Diria mesmo, altamente selecionado.

Parada sempre imparável

A imagem fala por si. Parada e a sua seita em parada civil num arruamento do concelho que começou por ser um bairro clandestino. Por muitos que queiram, a verdade é que o Dux 2 tem um estranho poder magnético. Os seus amantes suplantam largamente aqueles que o odeiam, ou seja, aqueles que se recusam a aceitar que um pé descalço suba na vida e coma a oligarquia de cebolada. Só falta saber por quantos é que vai ganhar.

quinta-feira, 9 de maio de 2013

A onda foi ao 'Ondas'

A "Onda" foi ao "Ondas Sobre o Mar", um dos meus restaurantes de eleição. Guilherme Pinto encontrou-se com "empresários". Gostava de saber o que isto quer dizer e também se o prato principal foi caldeirada. Se não foi, não sabem o que perderam pois o "Chefe" é grande especialista na matéria. Há outros especialistas mas, claro, é sempre preciso cuidado com as imitações.~
PS - Não sei porque "A Onda" não foi bater ali ao lado, no "Rochedo", como vai acontecer em outubro. Mas lá chegará.

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Sim, ressabiados

Não costumo ler este jornal mas tenho de concordar com esta manchete. É disso mesmo que se trata. Esta gente perdeu democraticamente as eleições do partido, vai provavelmente perder as posições que ocupam e agarram-se aquilo que julgam ser uma tábua de salvação (Guilherme Pinto). Por muito menos Narciso Miranda, o homem que tornou o PS um bastião em Matosinhos, foi corrido e enxotado a pontapé, depois de ter dado a mão a muitos destes senhores e senhoras, inclusive ao atual presidente da câmara. Acontece a todos. Mas o que gostava mesmo de ver era a "comandita" abandonar os cargos que ocupa.

domingo, 5 de maio de 2013

Não chega, é curto

Guilherme Pinto está no terreno com uma campanha personalizada em...Guilherme. É sintomático. Para já, encheu uma sala...por Matosinhos. Mas Matosinhos não se resume a esta sala cheia, é muito mais basto. Enche o ego ver tanta gente à nossa volta sob o ideal de uma candidatura "independente" mas não chega. É curto. Com muito mais capital, imensamente mais, Narciso Miranda ficou a 12 pontos do Partido Socialista.

Os amigos do Faísca



Estamos mais velhotes mas ainda cheios de pica. Sequelas de um secundário feito em pleno PREC, talvez.

quinta-feira, 2 de maio de 2013

O melhor de sempre



O melhor de sempre no pelouro da cultura não apenas pela quantidade mas sobretudo pela qualidade e diversidade do trabalho feito. Sem desmerecer os outros (Barros e Fonseca).

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Está aí a onda. Arranjem coletes!

Tal como se temia e previa, Guilherme Pinto caiu na tentação de testar a sua popularidade nas próximas autárquicas de outubro, concorrente na condição de "independente". É um direito que lhe assiste e que por ora satisfaz um grupo que o rodeia e que julga que Matosinhos começa e acaba no Parque Basílio Teles. Para já, quero ver se o atual presidente da câmara consegue as tais 5 mil assinaturas reconhecidas necessárias para se apresentar como candidato contra o PS e António Parada. Narciso Miranda, com 24 anos de liderança às costas, conseguiu pouco mais de 30% nas últimas eleições. Pelas minhas previsões, qualquer resultado acima de 10% para Guilherme Pinto já será muito bom mas estou a tentar ser otimista num momento em que ainda não se sabe se Narciso Miranda - que terá de justificar a subvenção que recebeu da AR - avança. Os ortodoxos do PS de Matosinhos querem acreditar que não mas sinceramente vejo aqui mais uma oportunidade para o dux fazer algum furor. Afinal, o que tem a perder ao meter-se no meio de uma candidatura do PS e outra de Guilherme Pinto, ele que pode mais uma vez "sacar" grande parte do eleitorado do PSD, um partido que, decididamente, o melhor que tinha a fazer era abster-se de apresentar candidaturas em Matosinhos. Esperemos para ver no que dá esta onda mas será bom começar a comprar coletes de salvação.