quinta-feira, 29 de abril de 2010

HISTÓRIAS DA CASA BRANCA


Quarta-feira, às 21 horas, no Mar Shopping, o meu colega de A BOLA Germano Almeida lança este inesperado livro. Cá fica o convite. Apareçam pois eu também vou estar lá para dar autógrafos.

segunda-feira, 26 de abril de 2010

MATOSINHOS BRILHOU EM LONDRES


António Pinto, o nosso campeoníssimo maratonista, que já viveu em Matosinhos, Mário Ferreira, que dispensa apresentações, Carlos Marinho, um professor de matemática exemplar e um matosinhense também de gema, e Paulo Catarino, o melhor asa do atletismo português e outro dos nosso com obra feita na gestão dos pavilhões da MatosinhosSport, correram este domingo a maratona de Londres. Não foi uma daquelas palhaçadas que alguns políticos costumam fazer disfarçados de runners, foi uma coisa a sério, que obrigou Mário Ferreira a perder 20 quilitos e a correr muitos quilómetros. Só assim a equipa conseguiu acabar a maratona londrina em menos de duas horas e meia, com o Mário a dar quase meia hora de avançado a sir Richard Branson, o homem que o vai levar ao espaço. O que é surpreendente é Matosinhos com gente que pensa tão alto continuar a ser o que todos sabem que é, isto é, uma cidade socialmente deprimido e apenas alinhada com as tendências culturais. Mas isto já sou eu a falar quase à meia-noite depois de me ter levantado às seis e corrido Londres de ponta a ponta. Infortunadamente não levei conta-quilómetros, caso contrário talvez coubesse no grupo aqui retratado.
Parabéns rapaziada. Para além da proeza, o convívio foi magnifico.

terça-feira, 20 de abril de 2010

ENTREVISTA COM JOCA GAIOLA

- Boa noite, Joca. Já não te via há bué.
- Ò pá, fui fazer o inter rail perdi-me na Macedónia.
- E então?
- Transformei-me em eremita, mas chateei-me e vendi a gruta ao Berardo.
- De regresso a Matosinhos?
- Consta que sim. Fiquei muito surpreendido.
- ???
- Não sabia que o Narciso tinha comprados as torres gémeas de Nova Iorque.~
- Meu, não...
- Não está mal visto. Mas também podia ter comprado a estátua da liberdade. Olha, o que é feito do Jorge Punk?~
- Emigrou.
- Para onde?
- Paris de France.
- Trabalha no Pigalle.
- Não o aceitaram. Parece que é técnico de computadores.
- Tem tudo a ver, computa...
- Mais ou menos.
- Esse gajo ainda tem cabelo?~
- Sim, nas costas.
- E priapismo?
- Ainda faz os seus estragos conforme se pode ver no porta-luvas do seu carro.
- O sacaniha, é feio como o c... mas elas caem-lhe aos pés.
- É, tem uma língua tipo lixa nº1 e elas gostam.
- E o Janelas?
- Vende droga no Inferno.
- E o Cabazinho?
- Tá fixe, continua a dar cachaços.
- E o Pedro Electricista?
- Casou com uma brasileira.
- Mais um pequenino bailarino... E o Júlio?
- Tá em Cabanas, junto à praia.
- E o Seabra.
- É deputado.
- Só podia. De puta...
- Prazer em rever-te. Para onde vais?~
- Macau.~
- Ò meu, já não é nosso.
- O boteco.
- Ah, ok.

CORREIO ELECTRÓNICO

NUNCA LI TANTA VERDADE JUNTA EM TÃO POUCAS LINHAS.......

Porque os homens também merecem...

Ser homem é:

- Sentir a dor física de uma bolada nos tomates;

- A tortura de ter de usar fato e gravata no Verão ;

- O suplício de fazer a barba todos os dias;

- O desespero das cuecas apertadas;

- A loucura que é fingir indiferença diante de uma mulher sem soutien;

- A loucura de resistir olhar para umas belas pernas com uma mini-saia;

- Ir à praia com a sua mulher e resistir olhar para aquele mulherão que está deitada ao lado

- Viver sob o permanente risco de ter de andar à porrada com outro homem;

- Vigiar o grelhador no churrasco ao fim de semana, enquanto todos se
divertem;

- Ter sempre de resolver os problemas do carro;

- Ter de reparar na roupa nova dela;

- Ter de reparar que ela mudou de perfume;

- Ter de reparar que ela mudou a tinta do cabelo de Imedia 713 para 731 loiro/bege;

- Ter de reparar que ela cortou o cabelo, mesmo que seja só 1cm;

- Ter de jamais reparar que ela está com um pouco de celulite;

- Ter de jamais dizer que ela engordou, mesmo que seja a pura verdade;

- Desviar os olhos do decote da secretária, que se faz distraída e deixa a blusa desabotoada até ao umbigo ;

- Ter a obrigação de ser um atleta sexual;

- Ter a suspeita de que ela, com todos aqueles suspiros e gemidos, só está a tentar incentivar-nos;

- Ouvir um NÃO, virar para o lado conformado e dormir, apesar da vontade de partir o quarto todo e fazer um escândalo ;

- Ter de ouvi-la dizer que está sem roupa, quando o problema é onde colocar novos armários para guardar mais roupa;

- Ter de almoçar aos domingos na casa dos sogros, discutir política com aquele velho reaça, tratar bem os sobrinhos, controlar-se para não olhar para o decote da irmã dela e não arrear um arraial de porrada ao irmão dela, sacana do caraças que vem sempre pedir dinheiro emprestado.

Depois Elas ainda acham que é fácil, só porque NÃO TEMOS O PERÍODO!

Mande este mail a todos os seus amigos, eles merecem... e a todas as suas amigas... aquelas que v/ ache que têm poder de encaixe...

ALTOOOOOOOOOO

Desculpem estar a estragar o mail, mas falta uma coisa muito importante que acontecia e ainda acontece a quem usa calças com fecho em vez de botões!

- Entalar a gaita na porcaria do fecho. São duas dores...... É o entalanço e depois abrir o fecho outra vez......


Estão a ver. Ter um filho só custa no parto!

* Obrigado cara amiga Alexandra Alão. Mas já suspeitava,

domingo, 18 de abril de 2010

JÁ AGORA...

...mais uma do Punk: a sala de convívio do Liceu de Matosinhos. Este tipo está sempre a surpreender-me, por isso é que o amo.

ANOS DOURADOS

O Punk publicou hoje esta foto no facebook de alunos do Liceu de Matosinhos durante um passeio ao largo de Leixões, nos final dos anos 70. O desafio aqui fica para que identifica os elementos deste grupo, hoje provavelmente carecas, barrigudos e com varizites diversas. Também serve para que os nossos filhos percebam que os seus pais um dia foram jovens bonitos e sonhadores.

POUCA VERGONHA


Desculpem mas andava com esta entalada. Aqui há dias, a Lusa fez um trabalho sobre os clubes dos deputados da nação que os jornais da especialidade amplificaram bastante. Para meu espanto, o nosso Leixões não surgia como clube de qualquer um dos deputados. Ou seja, Matosinhos não tem representantes na AR embora conste que andam por lá, entre outros, Manuel Seabra e Luísa Salgueiro... Fica assim explicada a crise do nosso Leixões que tem andado às costas de um homem que até nem gostava de futebol: Carlos Oliveira.

PERGUNTAR NÃO OFENDE

Não sei o que se passa com o facebook de Narciso Miranda mas hoje estava a pedir mais um golo da Académica enquanto há uma semana gritou goooooolo do Benfica. O nosso presidente honorário estará a ser afectado pelas cinzas do vulcão islandês?

sexta-feira, 16 de abril de 2010

TEMOS CANDIDATO (modéstia à parte)



Os matosinhenses conhecem-no através do blogue que mantém na Internet, desde Dezembro de 2007, com o seu próprio nome (http://joseantoniomodesto.blogspot.com/). Criou o espaço para “quebrar a ausência de informação sobre uma área importante”… Qual? Ora o subtítulo do Blogue dissipa qualquer dúvida: “Shipping is my life!”.
Os matosinhenses também o conhecem pela presença assídua e participativa em reuniões partidárias, Assembleias de Freguesia e Assembleias Municipais, conse-lhos consultivos e espaços de discussão pública. Foi, exactamente, num desses espaços que, recentemente, pediu aos políticos da nossa praça para “respeitarem os horários” em jeito de “respeitem o povo que vos elegeu”. O pedido simples do munícipe José Modesto gerou comentários atrás de comentários… “Talvez quem me comentou desejasse há muito fazer o mesmo… Não sei… Acho que o fiz porque o povo merece, de facto, respeito…”.
Os matosinhenses conhecem-no, ainda, através das páginas do “Jornal de Matosinhos”. A coluna semanal de José Modesto versa sobre tudo: relações humanas, ideias profissionais, críticas e denúncias, sugestões e propostas que visam melhorar o estado actual das coisas.
Os matosinhenses conhecem-no, sem que José Modesto se tenha revelado por querer, segundo nos disse, ser conhecido. Conhecem-no como um cidadão activo que gosta de comentar e reflectir sobre o mundo, sendo que esse começa no seu Concelho, Matosinhos, e na sua Freguesia, em Leça da Palmeira.

Como despertou para
o mundo dos blogues?

“Comecei por escrever em ou-tros blogues… Senti necessidade de me pronunciar sobre o estado das coisas e comentei sempre com o meu nome real. Não sou apologista dos anónimos… Depois decidi criar um blogue sobre a minha área de actividade para fazer face a uma lacuna de informação que existia. Ao longo da minha experiência profissional na área do shipping, fui-me deparando com a grande resistência de alguns colegas e superiores em passarem competências… Decidi contribuir com o que sei para que os mais novos que chegam a esta área não se deparem com os mesmos problemas e a mesma resistência. Encaro este blogue como uma ferramenta de trabalho”, explicou, lembrando ainda as suas participações em blogues como “Clube de Pensa-dores” ou “O Porto de Leixões”.
José Modesto trabalha, actualmente, na Ibero-Linhas… E toda a sua família esteve ligada ao mar e ao mundo dos contentores e dos navios de carga. Os pais e os avós foram mesmo alguns dos obreiros do Porto de Leixões. Já o filho de José Modesto preferiu os computadores… “Agora a oferta e os apelativos são outros. Compreendo e apoio”, adianta, de imediato.
Esclarecido sobre o porquê da escolha deste tema para a criação de um blogue, o JM não poderia deixar de perguntar ao nosso colaborador: Tantas colunas escritas sobre outros temas e comentários feitos em ou-tros blogues sobre outros temas… Para quando um blogue de política por exemplo?
“Tenho receio de deixar de investir no projecto de blogue
actual… Mas a pergunta é pertinente e não é a primeira vez que ma fazem… Quem sabe um dia”, deixou em aberto.
O http://joseantoniomodesto. blogspot.com/ teve 52 mil visitas em dois anos e é um dos blogues mais lidos por profissionais ligados ao sector dos contentores, cargas e descargas, navios… Para quê, de facto, mudar uma fórmula vencedora? Ficou, de qualquer forma, o repto…
Da blogosfera à política num pulo, questionamos o nosso colaborado sobre as suas preferências políticas. José Modesto não alimenta tabus sobre as suas ideologias partidárias é, aliás, “frontal e directo”, o que não o impede de ser “objectivo” na hora de criticar o próprio Partido.
Fez-se militante do PSD há alguns anos, quando despertou para o mundo da participação activa, pública e partidária… Começou, então, a participar em fóruns e reuniões. Esteve presente em vários momentos das recentes campanhas eleitorais. Deu opiniões, ajudou, criticou… É com voz firme que
adianta: “Não sou candidato a nada, mas gosto de ser ouvido e de ajudar…”.
O PSD de Matosinhos…

Como vê o PSD de Matosinhos, actualmente? E os resultados das últimas eleições surpreenderam-no?
“O PSD de Matosinhos está fra-gilizado. São sempre as mesmas caras e os mesmos discursos. Quando sai um antigo, entra outro chegado a esse… Há tempo para tudo e para todos… Posso dizer, com frontalidade, que não estou de acordo com o acordo feito entre o PS e o vereador do PSD. Sou social-democrata, mas sei criticar… Defendia que a posição do PSD na Câmara fosse de oposição construtiva e credível. Mas devo tirar o chapéu ao PS que soube adaptar-se à conjuntura actual e encontrou em José Guilherme Aguiar um aliado. No fim da campanha não existiam condições para o Guilherme e o Narciso trabalharem juntos. Esta foi a decisão possível… Talvez a mais ló-gica… Mas também a que menos serve o meu Partido, porque ter lá alguém assim não é o mesmo que ter lá alguém sem constrangimentos estra-tégicos pré-combinados”, disse.
A propósito deste e de outros temas que marcam ou marcaram a vida política concelhia, ou seja, a propósito dos acordos, guerras partidárias interna e externas, estratégias e constrangimentos, José Modesto lamentou a “descredibilização da política”.
“É desmotivante para os jovens este tipo de situações. Confiamos o voto a pessoas que devem ser-nos fiéis e respeitarem-nos…”. E eis que surge o episódio da “moção” feita por José Modesto, enquanto elemento da assistência, na primeira Assembleias Municipal deste mandato… “Pedi-lhes que fossem pontuais e até tive vontade de falar do relógio de ponto de antigamente… A ausência ou a falta de disciplina é desmotivante para quem está a começar a gostar de política. É mau para os jovens… É mau para o povo que confiou votos a pessoas que fazem o trabalho de casa em cima do joelho… Os debates são muito fracos. Discute-se o acessório e o essencial fica muito resumido”, lamentou.
E não é só na política que José Modesto encontra situações que receia que venham a desmotivar os jovens… No seu quotidiano e enquanto anda na rua… “Há tanta coisa que está mal e deve ser denunciada”.

As raízes de Matosinhos
e o Turismo

Vindo de uma família ligada ao Porto de Leixões e residente numa Freguesia onde as ondas e as rochas têm um rendilhado diferente, constituindo, já o disse António Nobre, um “mar único”, José Modesto é defensor da preservação das raízes de Matosinhos e dos investimentos no sector turístico.
A construção do Terminal de Cruzeiros assume o topo das prioridades… “Será uma mais-valia muito importante. Se Portugal não aproveita a costa que tem, quem pode aproveitar? Se Matosinhos não lança investimentos no turismo balnear e de cruzeiros, quem há-de lançar? Além do Terminal de Cruzeiros, a reactivação da Linha de Leixões e a cons-trução da Ponte Móvel foram muito importantes… Mas ainda falta fazer muito… O problema da economia nacional está, sobretudo, na falta de apoio às PME’s – Pequenas e Médias Empresas…”.
Questionado sobre que outros projectos gostaria de ver no terreno, José Modesto salta do mar e do porto para o centro da sua Freguesia… “Falta movimento jovem na zona histórica… A política autárquica devia incluir apoios e incentivos a jovens que desejem fixar-se no centro da cidade, repovoando-o e dando-lhe vida. A zona antiga de Leça está degradada e precisa de uma intervenção urgente. O roteiro turístico não passa só pelo roteiro gastronómico. Isso movimenta jovens mas não chega. O comércio e o urbanismo também têm de ser alvo de reflexão…”.
E já que estamos a falar de Leça da Palmeira… E a Petrogal? “É parte integrante de Leça da Palmeira e até faz parte da nossa identidade. Defendo condições de segurança e medidas ambientais, mas a saída de cá não seria corrigir um erro mas piorar a situação dos leceiros”.
O nosso colaborador, aproveitou, ainda para reivindicar mais espaço para as crianças brincarem, zonas verdes melhoradas e equipamentos de praia fora dos areais: “Tudo em prol de uma Leça da Palmeira mais bonita e apetecível!”.
Defensor da limitação de mandatos e da importância do jorna-lismo local, ainda que de forma recatada e algo distante da ribalta e das lutas pelo poder, José Modesto promete continuar a ser activo e critico… “Não sou candidato a nada, mas tento ser um cidadão atento, apontando soluções”, concluiu o nosso, porque não chamar-lhe, com a amizade e consideração que um colaborador e leitor fiel merece, “treinador de bancada leceiro”.

entrevista esta semana no "Jornal de Matosinhos"

domingo, 11 de abril de 2010

MATOSINHOS NO SEU MELHOR

Rua 1.º de Maio. Em frente ao sítio onde estava antigamente a merceria do senhor João, um cidadão decorou o seu portão e o telhado com cata-ventos. Ainda cheguei a pensar que finalmente se ia prospectar petróleo aqui na terra mas foi apenas mais uma ideia tola, tipo de vão de escada, pois é sabido que o nosso subsolo há muito tempo que está cheio de "ouro negro", como alguns de nós já perceberam nas suas garagens e caves. O melhor mesmo é não acender isqueiros quando andarmos por aí...

quinta-feira, 8 de abril de 2010

AI QUE SAUDADES, AI, AI...

« uma cortesia de Jorge Reis

A nossa Brito Capelo em 1979, antes de ser assassinada por políticos de vão de escada.

domingo, 4 de abril de 2010

CORREIO AZUL

« uma colaboração de VMO

Carta de Egas Moniz a Afonao Henriques:
Meu querido Afonso,
Ou Afonsinho, como eu te chamava no tempo em que te educava junto às margens do rio Douro, quando foi do milagre. Eras tão pequenino e enfezadinho.
Afonsinho, em que estavas a pensar quando mais tarde te zangaste com o teu Tio e fundaste Portugal?
Olha só no que deu essa tua travessura:

· No exame final de 12º ano, és apanhado a copiar, chumbas o ano; o primeiro-ministro fez o exame de inglês técnico em casa, mandou por fax e é engenheiro.
· Uma adolescente de 16 anos pode fazer livremente um aborto, mas não pode pôr um'piercing' (um prego nas trombas, mas em inglês diz-se assim)
· Um jovem de 18 anos recebe 200 € do Estado para não trabalhar; um idoso recebe de reforma 236 € depois de toda uma vida do trabalho.
· Um marido oferece um anel à sua mulher e tem de declarar a doação ao fisco. O mesmo fisco penhora indevidamente o salário de um trabalhador e demora 3 anos a corrigir o erro.

· Nas zonas mais problemáticas das áreas urbanas existe 1 polícia para cada 2.000 habitantes; o Governo diz que não precisa de mais polícias.
· Um professor é sovado por um aluno e o Governo diz que a culpa é das causas sociais.

· O café da esquina fechou porque não tinha WC para homens, mulheres e empregados. No Fórum Montijo, o WC da Pizza Hut fica a 100mts e não tem local para lavar as mãos.

· O governo incentiva as pessoas a procurarem energias alternativas ao petróleo e depois multa quem coloca óleo vegetal nos carros porque não paga ISP (Imposto sobre produtos petrolíferos).

· Nas prisões, são distribuídas gratuitamente seringas por causa do HIV, mas é proibido consumir droga nas prisões!

· Um jovem de 14 anos mata um adulto, não tem idade para ir a tribunal. Um jovem de 15 leva um chapada do pai, por ter roubado dinheiro para droga, é violência doméstica!

· A uma família a quem a casa ruiu e não tem dinheiro para comprar outra, o estado não tem dinheiro para fazer uma nova, tem de viver conforme pode. 6 presos que mataram e violaram idosos vivem numa cela de 4 e sem wc privado, não estão a viver condignamente e aí aassociação de direitos humanos faz queixa ao tribunal europeu.

· A militares que combateram em África a mando do governo da época na defesa do território nacional não lhes é reconhecido nenhuma causa nem direito de guerra, mas o primeiro-ministro elogia as tropas que estão em defesa das Pátrias DO KOSOVO, AFEGANISTÃO E IRAQUE, não da Pátria que fundaste.

· Começas a descontar em Janeiro o IRS e só vais receber o excesso em Agosto do ano que vem; não pagas às finanças a tempo e horas, passado um dia, já estás a pagar juros.

· Fechas a janela da tua varanda e estás a fazer uma obra ilegal. Constrói-se um bairro de lata e ninguém vê.

· Se o teu filho não tem cabeça para a escola e com 14 anos o pões a trabalhar contigo num ofício respeitável, é exploração de trabalho infantil. Se és artista e o teu filho com 7 anos participa em gravações de telenovelas 8 horas por dia ou mais, a criança tem muito talento, sai ao pai ou à mãe!
· Numa farmácia pagas 0.50€ por uma seringa que se usa para dar um medicamento a uma criança. Se fosses drogado, não pagavas nada!
· Afonsinho, de novo te pergunto e por favor responde-me: em que estavas a pensar quando fundaste Portugal? Carago, foi uma diarreia mental que tiveste, confessa lá que foi. Agora todos estão desiludidos. Já te falarei um dia na corrupção. O Gonçalo Mendes da Maia que tu tanto criticavas por querer tudo, era um ingénuo, não era nada ao lado desta gangada, nossos descendentes.
Se vires a senhora tua Mãe, dá-lhe recados.
Um beijo do teu servidor sempre fiel,

Egas Moniz