segunda-feira, 18 de outubro de 2010

ESMOLINHAS

Há um percurso na SCUT a que chamam A41/42 que custa 10 míseros cêntimos, é no sétimo pórtico a contar de Matosinhos. O pormenor se não fosse macabro era delicioso. O glutão Estado nem uma migalha pode dispensar, depois de anos de desperdício a encher a mula. Paga o cidadão. Mas, vá lá, desta vez há um sinal de aviso: o "piiiiiiiii" da Via Verde, sempre que passamos num pórtico, a dizer-nos "morcão, não te esqueças desta vez de penalizar quem não te sabe governar".

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

À NOITE NO MUSEU

Esta noite ia para casa quando me lembrei de que era noite de visitar o museu da Quinta de Santiago tendo como guia o mordomo Baptista.
Uma vez por mês, sempre à quinta-feira, se calhar com um interregno nos meses de Inverso, Joel Cleto liga a máquina do tempo e faz-nos recuar cem anos, dando-nos a conhecer os cantos da casa dos Santiago Carvalho, a família nobre que escolheu a margem direita da foz Leça como seu campo de sonhos.
Quem me conhece sabe que há muito tempo que aprecio o trabalho que o "nosso arqueólogo" tem feito por Matosinhos e pelos matosinhenses. Mas a verdade é que não conhecia este seu jeito para a representação de um papel.
Os 80 minutos que durou a viagem nocturna pela casa dos Santiagos passaram depressa, com o bónus proporcionado pela exposição de alguns dos melhores trabalhos de Augusto Gomes, que por sí só justificam uma visita durante o horário normal do museu.
São coisas assim que nos reconfortam e reconciliam com o serviço público, quando este nos é prestado com sabedoria, dedicação e verdadeiro empenho, não deixando morrer o nosso melhor património: a memória.

Obrigado, Baptista!

SCUTEM O SILÊNCIO

A partir das zero horas de hoje a indignidade abateu-se sobre Matosinhos.
Passamos a pagar as nossas deslocações periféricas dentro do concelho (para Custóias, S. Mamede e Leça do Balio) sem que um só deputado "eleito" por Matosinhos tenha levantado a voz ou ousado sequer falar do assunto. O presidente da câmara anda também desaparecido deste combate, melhor, está do outro lado da trincheira. Este silêncio dos "nossos" políticos é ensurdecedor, gritando-nos aos ouvidos a inutilidade de um sistema que elege políticos e não representantes do povo. Já sabia que a democracia tinha muitos buracos, confirma-se agora que nem um buraco merece ser chamada.

Que vergonha!

terça-feira, 12 de outubro de 2010

MONTEDOURO


No lugar de Montedouro, sítio provável de ocupação antiga, subsiste o único núcleo de sepulturas medievais rupestres do concelho de Matosinhos. O local está sinalizado razoavelmente em Perafita mas as cinco sepulturas continuam ao Deus-dará, estando uma delas (imagem 2) num caminho de pé posto, junto a um charco cheio de óleos e lixo. A sepultura "principal" destaca-se não apenas devido à sua localização mas também devido ao seu contorno artístico. Muitos matosinhenses não conhecem este lugar onde se respira história, e de onde se desfruta um fantástico panorama, e que merecia outro tipo de divulgação e também outro tipo de cuidado. Mas, já se sabe, o dinheiro faz muito mais falta nos bairros dos mitras.

VERGONHA

De que servem conferências de Imprensa e mais blá-blá sobre ambiente quando em Matosinhos continuam a ocorrer lixeiras a céu aberto paredes-meias com residências e com o único núcleo de sepulturas medievais rupestres do concelho?
Acontece em Montedouro, Perafita.

domingo, 10 de outubro de 2010

terça-feira, 5 de outubro de 2010

INUTILIDADES

O presidente da câmara e a vereadora do ambiente fizeram uma conferência de Imprensa a propósito do balanço...da época balnear. A próxima, imagino, será sobre a migração das rolas. São inutilidades deste tipo que nos fazem pensar que o poder local não passa de folclore. Já todos sabemos a câmara, após anos de inércia, fez um grande esforço no sentido de qualificar as nossas praias, copiando o que outros já fizeram se calhar sem tanto alarido, mas não queremos saber manifestamente se este ano foram feitos mais salvamentos que no ano passado ou se as águas estão próprias para banhos depois de tomados os mesmos banhos. As 303 ocorrências registadas, com a subjectivade que se adivinha, na época balnear de 2009 foram comparadas com as 32 deste ano, aqui se incluíndo ainda o aparecimento de cadáveres de animais - 7 em 2009, nenhum este ano. Já todos sabemos que as nossas praias estão melhores, não havia necessidade nenhuma de promover o produto. Mas, infelizmente, os nossos políticos continuam convencidos que governam estúpidos. Se calhar têm razão.

domingo, 3 de outubro de 2010

ELEIÇÕES

Esta semana, aqui no café onde costumo abancar, falava com os meus amigos da rua de eleições. Mais uma vez forcei a nota e defendi uma tese de há muito que passa por apenas conceder o direito de voto a quem paga impostos, tirando esse direito a quem nunca se colectou ou àqueles que de alguma forma ludibriaram o Estado e feriram os cidadãos, tendo sido condenados por isso. Sei que é uma tese muito radical e completamente fora de modo nestes tempos liberais mas se repararem bem na hoje muito festejada 1.ª República o direito de votar era um direito de uma elite, dela estando afastadas as mulheres e os analfabetos, entre outros. Vão já começar a dizer que sou um pedante e peras mas, se me permitirem, vou tentar fundamentar o meu pensamento: numa empresa só votam os accionistas e nem todos. Ou seja, quem investe e quem arrisca. Quem ganha e quem perde. Sendo assim, os 700 mil assalariados da função pública também não deviam votar. Estão envolvidos de alguma forma, estão conotados com os poderes, estão contaminados... Provavelmente não me fiz entender mas confesso que me custa participar nesta solenidade na qual até atrasados mentais podem votar.

sábado, 2 de outubro de 2010

EXPOSIÇÃO


Inaugura hoje, sábado, 2 de Outubro, no bar "Ai Quem Me Dera", em Leça da Palmeira, à rua dos Dois Amigos. Sérgio Aires, um artista matosinhense, põe quase tudo a nu.