sexta-feira, 30 de outubro de 2009

ESCLARECIMENTO

Sou candidato à Presidência do PSD de Matosinhos.
Dentro de dias irei apresentar a minha candidatura, a equipe que me acompanha e o programa que pretendemos realizar.
Neste momento, dirijo-me a si, apenas para repor a verdade.
Está a ser enviado aos militantes do PSD de Matosinhos um mail que me acusa de ter feito um acordo com o senhor Narciso Miranda para derrubar a Câmara e que me daria uma choruda avença como advogado da Câmara de Matosinhos.
Tudo isto é totalmente falso pelo que apresentarei queixa-crime contra o autor da calúnia e dos insultos ao meu Bom Nome.
Não fiz qualquer acordo com o senhor Narciso Miranda nem com o Dr. Guilherme Pinto.
Se ganhar, como espero, as eleições do PSD de Matosinhos não trabalharei para a Câmara de Matosinhos ou para qualquer empresa municipal em circunstância alguma.
Portanto não farei qualquer avença com a Câmara de Matosinhos.
Se for eleito Presidente do PSD de Matosinhos serão os Militantes do PSD de Matosinhos, em Plenário, a decidir qual a estratégia a seguir. Não serei eu, não será a Comissão Política, mas também não será este ou aquele senhor, por mais ilustre que se considere a ele próprio.
Comigo, quem vai decidir serão os Militantes do PSD de Matosinhos.
Como disse, recorrerei à Justiça para defender o meu Bom Nome e a minha Honorabilidade. Confio que a Polícia Judiciária conseguirá identificar o cobarde que me insultou e pôs em causa a minha seriedade.
Sei que a minha candidatura assusta estas pessoas, que sabem que comigo o PSD de Matosinhos não fará negócios nem negociatas. Assusta e incomoda estes cobardes, que não dão a cara quando escolhem o caminho da difamação e do insulto. Não descansarei enquanto não conseguir condenação judicial destes cobardes.
Estou certo de que os Militantes do PSD de Matosinhos jamais se deixarão levar por estas atitudes e comportamentos inqualificáveis de quem apenas parece querer defender um qualquer tacho.
Receba os meus melhores cumprimentos e as minhas saudações sociais- democratas

Pedro Vinha da Costa
Enviar um comentário