domingo, 30 de abril de 2017

Na fogueira das vaidades vale tudo para fazer chama


Tivemos mais um jantar de gala na nossa cidade, se é que se pode chamar gala a um jantar de carne assada com batatas cruas. Nas marisqueiras não é esse o menu, já todos sabemos, mas o que importa mesmo nestes momentos é cerrar fileiras e sorrir para a fotografia. Mas o que eu gostava mesmo de saber é por que razão o empregado de mesa também teve direito a entrar na fotografia. O resto não é uma surpresa - apenas a confirmação de que a política é uma porca com muitas tetas.

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Pizarro, o conquistador

video
Francisco Pizarro liquidou o império Inca, uma das mais belas criações da humanidade, em duas penadas, espalhando a gripe a golpes de espada. Um outro Pizarro (e não Piçarro como já o ouvi ser tratado) acaba de passar por Matosinhos para impor uma candidatura. Como não podia deixar de ser, não faltou à festa de apresentação, onde foi o campeão dos aplausos e dos gritos. O dono disto tudo já deixou de ser conhecido apenas por frequentar o camarote presidencial do Estádio do Dragão. Agora foi ele quem montou o palanque e subiu ao mesmo. Os matosinhenses adoram-no!

Onde estava a Polícia Municipal?


Esta 5.ª feira fui assistir à assembleia municipal - sim, é um facto, estava bastante deprimido - e, como sempre, estacionei o meu carro na envolvente do Parque Basílio Teles, onde há poucos dias fui convidado a contribuir com um donativo de 8 euros para a empresa que explora o estacionamento público em Matosinhos. Qual não foi o meu espanto quando verifiquei todo este aparato em zona onde habitualmente é difícil aparcar. Lembrei-me logo de um recente evento noturno na Rua Brito Capelo e que foi alvo de um assalto da Polícia Municipal, que correu a multas todos os carros que ali estavam estacionados. Tentei telefonar para a Polícia Municipal mas estava sem carga no telemóvel e o telefone público da nossa câmara estava neste estado...



quinta-feira, 27 de abril de 2017

Autárquicas 2017 em modo 3D


Durante algumas semanas permaneceu a dúvida sobre a posição a assumir por Eduardo Pinheiro em relação às autárquicas 2017. Muitos foram aqueles que lhe pediram para assumir uma candidatura como independente. Afinal, é presidente da câmara nessa condição. Mas está visto que Eduardo Pinheiro vai ser o n.º 2 da equipa de Luísa Salgueiro. Há um compromisso, assumido com Guilherme Pinto, para honrar. Falta agora saber se o atual líder autárquico vai conseguir manter a pressão alta na negociação de lugares nas diversas listas. Como não pode haver sorteio, chegou a hora do rateio. A bola anda de lá para cá mas a cada dia que passa os socialistas que perderam as últimas eleições começam a ganhar força nesta corrida a três pelo poder. Mas como Eduardo Pinheiro é um homem inteligente e que não dá um passo sem ter o pé de apoio bem firme, ei-lo já pronto para o que aí vem e cheio de confiança, como pode apreciar quem acompanha a sua página pessoal no Facebook, onde os mais distraídos podem pensar estar perante o candidato a presidente da câmara...

Matosinhenses estão a ser alvo de um 'assalto à mão armada'


Ficam emboscados à espera do ataque. São os fiscais das multas de estacionamento, que até já vi com blusões com símbolos da câmara municipal embora se saiba que é uma empresa que trata destes assuntos. Ficou mais fácil estacionar em certos locais de Matosinhos para quem lá vai eventualmente mas ficou muito mais difícil para quem lá reside ou trabalha ou ali vai com muita frequência. Não acho mal que se pague para estacionar no centro das cidades, o que não entendo é que tal proporcione uma verdadeira caça à multa - o que entendo pois é receita para as partes envolvidas! Não basta os impostos que já pagamos e somos agora vítima de uma cilada. É o que está a acontecer em Matosinhos, curiosamente nas barbas de um departamento dirigido por um vereador comunista ( :) ). Veja-se o que aconteceu a este cidadão matosinhense:

- Quero pedir desculpa à Câmara Municipal de Matosinhos por, ao final de um dia de trabalho, não ter conseguido dar a minha corrida semanal ao ritmo que me tinha inicialmente proposto. Nunca pensei que isso me fosse custar mais € 8,60 se não tinha-me esforçado mais um bocado.
Quero também desejar ao fiscal 4209 que ao longo da sua vida tenham para com ele a mesma tolerância que ele teve (deve ter ficado ao lado do carro à espera que passassem as 19h11 para me multar as 19h12). Fica-lhe muito bem assim como à classe profissional que ele representa.
A multa já está paga, não seja por isso que a Câmara não acabe as obras da Rua Serpa Pinto/Heróis de França ou as da EN107 que me obrigar a gastar bem mais do que isso em gasóleo Scuds à mais de um ano.


É isto que acontece quando se entrega o espaço público sem controlo e, sobretudo, sem uma recomendação firme de bom senso. Mas felizmente o vereador José Pedro Rodrigues está atento e acabo de saber que este caso foi apresentado e rapidamente resolvido, com a restituição do valor da multa. Este caso terá mesmo provocado uma alteração do regulamento, que passará a prever uma tolerância de 10 minutos para além do tempo pago de estacionamento. É, na minha opinião, ainda assim uma margem curta. É bom que se regule o estacionamento de forma a facilitar o acesso a zonas comerciais da cidade mas acima de tudo está o cidadão e o respeito pelos impostos que este já paga de forma pesada. Deve também uma câmara municipal fazer tudo para proporcionar parques de estacionamento gratuitos ou low coast, não deixando apenas para os privados o 'negócio'.

Entretanto, fiquei também a saber, pelo vereador do pelouro, que desde meados de março que não há conhecimento de qualquer situação do género e que os oito euros e tal vão baixar para seis euros e pouco, com a alteração no regulamento.

É bom sentir que temos resposta aos nossos alertas. É raro e por isso ainda melhor.

Boa Nova a ver-se ao espelho


O templete de Santo António da Boa Nova, implantado no local onde durante cerca de 80 anos funcionou um pequeno eremitério de franciscanos, é um dos 'spots' preferidos dos matosinhenses e em especial dos leceiros. Ali se fez recentemente uma importante intervenção arqueológica que identificou dois momentos relativos ao edifício do antigo lar dos franciscanos que depois se mudaram para a atual Quinta da Conceição, e a igreja foi também objeto de uma operação que foi para além do simples restauro. Esta nova ala, a norte, que se vê na foto de Humberto Gomes da Silva, realça a novidade, com uma superfície espelhada que, acredito, primeiro se estranhou mas que já se vai entranhando. Todas as intervenções em edifícios antigos são polémicas. Há sempre quem defenda a integralidade histórica e há quem abra espaço para alguma inovação (como aconteceu aqui). Mas o mais importante não é restaurar e o modo como se restaura. O mais importante é fazê-lo com o objetivo de proporcionar o usufruto. O que não acontece. O templete está muito mais bonito, a sua história foi acrescentada...mas continua geralmente fechado e quem ali vai - e por ali passam muitos peregrinos rumo a Santiago - chega e parte com a mesma informação. Ou seja, sem perceber o que encontrou nesta pequena mas bela finisterra leceira. Não basta investir na obra quando se fala de património. Esse é apenas o ponto de partida. Mas este é, infelizmente, um tique dos nossos políticos, que perdem todo o entusiasmo depois do corte da fita e da fotografia da ordem.

PS - Curiosamente, no dia em que os meus colegas arqueólogos divulgaram ali o resultado dos seus trabalhos a capela naturalmente esteve aberta mas só ali compareceram 10 ou 12 pessoas. Ninguém viu por lá o presidente da junta. Também é verdade que estava a chover muito e que a plateia era minimalista.

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Em Matosinhos o 25 de abril foi a 24


Tivemos uma profusão de eventos relativos a mais um 25 de abril por todo o concelho (alguns presidentes de junta andaram num virote, mais os respetivos assessores de imagem). Mas foi na Câmara Municipal que o mais importante aconteceu. Eduardo Pinheiro hasteou a bandeira ao lado do ministro Santos Silva e ouviu este depois dizer, já na sala do planetário, que Matosinhos precisa de dar continuidade ao trabalho feito por Guilherme Pinto. Se estou bem lembrado é o que Luísa Salgueiro tem vindo a dizer desde que começou a sua pré-campanha. Não vou falar de mais uma homenagem a Guilherme Pinto por respeito a quem já não está cá, apenas vou acrescentar a minha perplexidade perante a indiferença vista entre aqueles que se sentaram na primeira fila e que foram eleitos na mesma lista em 2013. Mas isso já todos entendemos melhor. Aqueles que há 4 anos andavam com António Parada ao colo são os mesmos que agora procuram dar amparo à candidata do Partido Socialista do Porto. Não sei até quando a quem interessa o nome do malogrado Guilherme Pinto vai continuar a ser usado. Espero que haja bom senso e, sobretudo, respeito.

Cuidado com o excesso de Fotoshop


A candidatura de Luísa Salgueiro já está no terreno. Temos tido por aqui frequentes visitas do doutor Pizarro que o confirmam. Faltam só os cartazes. Por ora só o temos visto no Facebook. Como sou daltónico, peço-vos ajuda para me explicarem se as cores estão bem combinadas mas mesmo a preto e branco já tenho algo a dizer: Cuidado com o excesso de Fotoshop e tenham em conta que um bom bronzeado fica sempre bem sobretudo a quem é do Partido Socialista de António Costa. Luísa Salgueiro é uma cara bonita mas confesso que tive de tirar os óculos e aproximar-me do monitor para confirmar que é mesmo ela que está na fotografia e não uma Ana Catarina Mendes completamente filtrada por um programa de computador. Não estraguem o que está bem é uma regra que até na política vale...