domingo, 27 de fevereiro de 2011

Vaga de fundo

MANUEL SEABRA

Sem querer estar a fazer apostas, creio que daqui a seis anos e meio este homem vai ser de novo presidente da câmara de Matosinhos. Já o foi, quando Narciso trocou o título de dux de Bouças pelo de secretário de Estado dos portos, e tudo indica que a Matosinhos voltará quando Guilherme Pinto não puder candidatar-se. É certo que há outros candidatos que ainda vão jogar os seus trunfos mas sinceramente não estou a ver nem António Parada nem Luísa Salgueiro com andamento para este Manel que já chegou à 1.ª fila da bancada do PS na Assembleia da República. A lota continua.

sábado, 19 de fevereiro de 2011

AUGUSTO GOMES

Encerrou-se hoje, na "cottage" da Casa de Santiago, o ciclo que assinalou o 100.º aniversário de Augusto Gomes. Sala cheia e boa conversa. Joel Cleto fez as honras da casa - mordomo que se preza é mesmo assim! -, Fernando Rocha informou-nos que foi no seu mandato que mais obras de AG foram compradas pela câmara (parabéns!) e aproveitou para nos informar também que o Quarteto de Cordas e a Orquestra de Jazz de Matosinhos foram seleccionados pelo Ministério da Cultura para um programa de apoio e incentivo (parabéns outra vez!), Manuel Dias da Fonseca deu à sessão o tom poético e emotivo, Alfredo Barros recuperou boas memórias do artista que vivia no seu prédio e António Cunha e Silva disse tudo quando falou de génios e de simples mortais.
Gostei bastante.
Como diz Fernando Rocha, a cultura é sempre investimento.

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

PISCINA DAS MARÉS


Uma piscina tal como o nome indica, como fica demonstrado neste magnífico trabalho de Francisco Teixeira (Nito)
CLICA NA IMAGEM PARA VER MELHOR

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

JOSÉ MODESTO VOLTA AO ATAQUE NA AM


PERMITAM-ME QUE AS MINHAS PRIMEIRAS PALAVRAS DE HOJE VÃO DIRECTAMENTE PARA O NOSSO EX.COMPANHEIRO DR.NELSON CARDOSO, VEREADOR DESTE EMICICLO:

EMBORA A MINHA PRESENÇA AQUI SEJA MERAMENTE A DE UM ELEMENTOS DO PÚBLICO, UM SIMLES CIDADÃO, ESTOU CERTO QUE O SEU TRABALHO NESTA CÂMARA FOI SEM DUVIDA RECONHECIDO, E TODOS NÓS DEVEMOS ESTAR ORGULHOSOS DO SEU TRABALHO DA SUA COOPERAÇÃO EM PRÓL DE UMA CIDADE, A CIDADE DE MATOSINHOS.
OBRIGADO DR.NELSON CARDOSO.


HOJE, DOU POR TERMINADO UM TEMA QUE FICOU SEM RESPOSTA: SALVO O PEQUENO ALERTA (PARA O QUAL DESDE JÁ AGRADEÇO DO SR.PRESIDENTE DESTA MESMA ASSEMBLEIA) “AS SENHAS DE PRESENÇA”, DIZER-VOS APENAS QUE FICOU PATENTE QUE MUITOS DOS NOSSOS REPRESENTANTES AQUI NESTE EMICICLO, PRECISAM EFECTIVAMENTE DO MONTANTE DAS REFERIDAS SENHAS... (RELEMBRO QUE O REPTO FOI SÓ E SÓ DURANTE O MÊS DE DEZEMBRO...NAS DUAS ASSEMBLEIAS QUE JÁ SE EFECTUARAM)…AINDA ASSIM V.EXª.S PURA-E-SIMPLESMENTE IGONORAM ESTE MEU REPTO.
FELIZMENTE RECEBI DEZENAS E DEZENAS DE E-MAILS AGRADECENDO SOBRE ESTE REPTO.


EM TODO CASO QUERIA DIZER-VOS QUE, E DE ACORDO COM INFORMAÇÃO QUE RECEBI, EXISTE UMA FORÇA POLITICA NESTE EMICICLO QUE ABDICA DESSA VERBA A FAVOR DE UMA INSTITUIÇÃO CIVICA NO NOSSO CONCELHO...O NOSSO OBRIGADO.



HOJE FALAREI DE ALGUMAS ACÇÕES QUE ME PARECEM IMPORTANTES E QUE FORAM REALIZADAS E IMPLANTADAS EM MATOSINHOS.


1º. A REVOLUÇÃO QUE ESTÁ A DECORRER EM TODO PARQUE ESCOLAR EM MATOSINHOS…NINGUÉM FICA INDIFERENTE.
“ A EDUCAÇÃO É UM PROCESSO SOCIAL, É DESENVOLVIMENTO.
NÃO É A PREPARAÇÃO PARA A VIDA…É A PRÓPRIA VIDA…
PARABÉNS AO SEU VEREADOR.


2º. A SOLUÇÃO ENCONTRADA SOBRE A ESTILHA DEPOSITADA NO PORTO DE LEIXÕES...DIZER A ALGUNS ELEMENTOS DA OPOSIÇÃO QUE NÃO BASTA CARREGAR NO BOTÃO E JÁ ESTÁ.
SEMPRE O DISSE (E V.EXªS. RECORDAR-SE-ÃO)” DEVEMO-NOS CONCENTRAR MAIS NA SOLUÇÃO E MENOS DO PROBLEMA).
CONTRA FACTOS…NÃO EXISTEM ARGUMENTOS.


A NIVÉL DAS JUNTAS DE FREGUESIA SALIENTO ALGUMAS ACÇÕES BASTANTE POSITIVAS, E DESDE JÁ AS MINHAS DESCULPAS POR NÃO ENUMERAR TODAS AS FREGUESIAS, FALAREI SOMENTE DAS QUE CONHEÇO E QUE ME SÃO MAIS PRÓXIMAS:

LEÇA DA PALMEIRA “UMA PEGADA ECOLÓGICA E SOCIAL” O CHAMADO ROUPÃO…O NOME DIZ TUDO.

“VENHA APRENDER A EDUCAR” UM PROJECTO ENTRE A UNIDADE DE CUIDADOS CONTINUADOS E A ESCOLA EB 2-3 DE LEÇA DA PALMEIRA …DIREI SIMPLESMENTE “O SABER NÃO OCUPA ESPAÇO”.



EM MATOSINHOS
“VENHA APRENDER INGLÊS”
QUEM NÃO LEU: “ENTÃO GOODBYE, QUE EU GOOD FICO”
A PROVA DE QUE O NOSSO PODER IMAGINATIVO NUNCA SE ESGOTA.

CAROS REPRESENTANTES, DIR-ME-ÃO O SEGUINTE:
MAS ISTO HOJE É TUDO ELOGIOS…NÃO É NÃO E TERMINAREI SR. PRESIDENTE COM OS MEUS JÁ HABITUAIS ALERTAS PARA OS QUAIS ESPERO RESPOSTA DO SR.PRESIDENTE


NA MARGINAL DE LEÇA DA PALMEIRA PARA QUANDO A INSTAÇAÃO DAS FAMOSAS PARAGENS DE AUTOCARRO.


SERÁ QUE OS NOSSOS SURFISTAS QUANDO SE DESLOCAM Á NOSSA MARGINAL DE LEÇA DA PALMEIRA VÃO CONTINUAR A TER FORTES CONSTIPAÇÕES, PORQUE NÃO EXISTE UM VESTIÁRIO CAPAZ DE OS RECEBER?


DADA A APROXIMIDADE DA ZONA BALNEAR
DADA A APROXIMIDADE DO NOVO E MODERNO TERMINAL DE CRUZEIROS, NÃO ACHA DEFINITIVAMENTE QUE OS TERRENOS DA EX-ALGARVE EXPORTADORA DARIAM UMA ÓPTIMA ZONA DE LAZER PARA OS MATOSINHENSES E OS SEUS TURISTAS?

4º E ÚLTIMO PONTO, E ESTE É SEM DÚVIDA IMPORTANTE.
VOLTO A INSISTIR SR.PRESIDENTE, DA RECONVERÇÃO DA ARTÉRIA: HERÓIS DE FRANÇA.
ELA A CONTINUAR ASSIM VAI SER O PATINHO FEIO DA NOSSA CIDADE.

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

COISAS TRISTES

O corte da estrada marginal junto ao kartódromo do Cabo do Mundo é um escândalo, sobretudo depois de uma excursão de autarcas e jornalistas ali se ter deslocado, há duas semanas, garantindo que as máquinas iam entrar em acção. Não entraram. A gincana continua.

AI QUE SAUDADES, AI, AI...

domingo, 6 de fevereiro de 2011

UM VALIOSO CONTRIBUTO DE JORGE REIS

Estava há dias a falar com um amigo meu nova-iorquino que conhece bem Portugal.

Dizia-lhe eu à boa maneira do "coitadinho" português:

Sabes, nós os portugueses, somos pobres ...

Esta foi a sua resposta:

Como podes tu dizer que sois pobres, quando sois capazes de pagar por um litro de gasolina, mais do triplo do que pago eu?

Quando vos dais ao luxo de pagar tarifas de electricidade e de telemóvel 80 % mais caras do que nos custam a nós nos EUA?

Como podes tu dizer que sois pobres quando pagais comissões bancárias por serviços e por cartas de crédito ao triplo que nós pagamos nos EUA?

Ou quando podem pagar por um carro que a mim me custa 12.000 US Dólares (8.320 EUROS) e vocês pagam mais de 20.000 EUROS, pelo mesmo carro? Podem dar mais de 11.640 EUROS de presente ao vosso governo do que nós ao nosso.

Nós é que somos pobres: por exemplo em New York o Governo Estatal, tendo em conta a precária situação financeira dos seus habitantes cobra somente 2 % de IVA, mais 4% que é o imposto Federal, isto é 6%, nada comparado com os 23% dos ricos que vivem em Portugal. E contentes com estes 23%, pagais ainda impostos municipais.

Um Banco privado vai à falência e vocês que não têm nada com isso pagam, outro, uma espécie de casino, o vosso Banco Privado quebra, e vocês protegem-no com o dinheiro que enviam para o Estado.*
*E vocês pagam ao vosso Governador do Banco de Portugal, um vencimento anual que é quase 3 vezes mais que o do Governador do Banco Federal dos EUA...

Um país que é capaz de cobrar o Imposto sobre Ganhos por adiantado e Bens pessoais mediante retenções, necessariamente tem de nadar na abundância, porque considera que os negócios da Nação e de todos os seus habitantes sempre terão ganhos apesar dos assaltos, do saque fiscal, da corrupção dos seus governantes e dos seus autarcas. Um país capaz de pagar salários irreais aos seus funcionários de estado e da iniciativa privada.

Os pobres somos nós, os que vivemos nos USA e que não pagamos impostos sobre o ordenados e ganhamos menos de 3.000 dólares ao mês por pessoa, isto é mais menos os vossos 2.080 €uros. Vocês podem pagar impostos do lixo, sobre o consumo da água, do gás e da electricidade. Aí pagam segurança privada no Bancos, urbanizações, municipais, enquanto nós como somos pobres nos conformamos com a segurança pública.

Vocês enviam os filhos para colégios privados, financiados pelo estado (nós) enquanto nós aqui nos EUA as escolas públicas emprestam os livros aos nossos filhos prevendo que não os podemos comprar.


Vocês não são pobres, gastam é muito mal o vosso dinheiro.

Vocês, portugueses, não são pobres, são é muito estúpidos..........

RESPOSTA DE JORGE "PISCO"

Não me importa quem é você, só sei que “António Teixeira” é um imbecil, os anónimos são gente estúpida, cobardes, gente sem carácter.
Este anónimo “António Teixeira”, já por várias vezes, em outros blogues CP, e PL, cita o “Pisco” referindo-se à minha pessoa pela alcunha e uma pessoa ao dirigir-se a outra pessoa rotulando-a, é gente de baixo calibre. Apenas pretendo e gostaria de lhe dizer, tendo em conta que não costumo nem ler, nem responder aos cobardes anónimos, esta é a minha segunda resposta ao “clandestino António Teixeira”, só escrevo estas palavras preambulares e que jaz velada, pois apetecia-me responder-lhe de outra forma mais fervente.
Não queria tanto discorrer sobre anónimos ou a nomes forjados, apesar de mais uma vez, este anónimo A.T. cita a minha alcunha como sou conhecido “Pisco” no seu comentário sobre o artigo “A NOSSA BIBLIOTECA”.Discordo do seu comentário e o mesmo não corresponde à verdade, salientando que o artigo de EUGÉNIO QUEIRÓS, frequentador assíduo da Biblioteca, está muito bem escrito, valorizando aquele espaço em Matosinhos, importante para o desenvolvimento intelectual de cada um de nós (nem todos o merecem!).
Os factores negativos que aponta são falsos, dado que actualmente os responsáveis da Biblioteca, têm-se esforçado a melhorar aquele espaço cultural para melhor servir os utentes. Factos que o anónimo A.T. não conhece, como: as obras literárias existentes na Biblioteca, as iniciativas para crianças, como a hora do conto em todos os primeiros sábados de cada mês como as iniciativas para adultos e jovens o “LEV” a “FESTA DA POESIA” e os lançamentos de livros, conferências, etc., etc.
Daquilo que tive oportunidade de ver e assistir, os actuais responsáveis da Biblioteca, pelo seu conhecimento e experiência têm-se envolvido em aplicar o seu melhor com rigorosos métodos para servir melhor a cultura e os seus frequentadores dando a estes melhores condições.
Quanto à minha saída da biblioteca, nada tem a ver com o ridículo comentário, a minha saída já estava há muito anunciada
, fui colocado num lugar onde naturalmente os responsáveis acharam que podia ser muito mais útil, nestas minhas novas funções.
No que se refere ao CCDPMM, continuo a manter a minha posição de falar do CCDPMM no lugar próprio, mas pelos vistos, temos um anónimo atento, será funcionário da CMM?! Se o é, então intervenha nas assembleias.
Vamos ficar por aqui, gastar cera, com anónimos, é badalar com estúpidos. Não se preocupem com o “PISCO”, ou melhor dizendo, desista de falar do JORGE CARVALHO, este não fica afectado, já resistiu a muito.
Anónimo A.T. as minhas piores horas são aquelas que o meu estômago dá!
Deixe-me desempenhar as minhas funções com responsabilidade neste meu novo posto «CÚBICULO DE PORTARIA, onde há mais filosofia do que em todos os tratados do Mundo» e receber, como tem acontecido, a simpatia de todos, mas de todos, os meus colegas que lá trabalham, bem como pelos outros locais por onde tenho passado.
Os meus cumprimentos
Jorge Carvalho

sábado, 5 de fevereiro de 2011

REGIONALIZAÇÃO

A convite do meu amigo Carlos Alberto estive sexta-feira à noite na junta de freguesia de Matosinhos para assistir a um debate sob o mote "Regionalizar para quê?". Infelizmente só pude assistir à primeira intervenção dos três oradores convidados: José Luís Carneiro, presidente da Câmara de Baião, Guilherme Pinto, que dispensa apresentações, e Rio Fernandes, professor universitário. O debate foi organizado pelo clube "Pensar e Agir Local", mais conhecido pelo acrónimo PAL, um grupo que resultou, pelo que fiquei a saber, do movimento da candidatura de José Luís Carneiro à distrital do PS do Porto, que acabou por perder, embora sem levar goleada. Comecei por estranhar que os três convidados estivessem todos a favor da regionalização mas pelo que soube depois muitos dos presentes, que encheram o auditório, não estavam. Como todos sabemos, a regionalização já foi referendada pelos portugueses e foi chumbada por um total superior a 60%. Mas continua a ser o que podemos chamar uma questão de fundo que o PS, sobretudo, de vez em quando pretende trazer à superfície. Ouvi atentamente os argumentos dos seus defensores e gostei sobretudo da prudência de Guilherme Pinto, que entende que o lançamento de um novo referendo talvez seja prematuro. O nosso presidente da câmara, usando o seu timbre impressionista e grave, nunca se engasga quando fala e mais uma vez marcou pontos, descontando obviamente o seu fanático optimismo em relação ao programa do actual governo e às virtudes da aposta nas renováveis e nas novas tecnologias... Mas, pronto, quem anda na política é como quem vai à igreja: tem de haver fé!
Não penso que a regionalização seja propriamente uma prioridade nacional. Como foi dito no debate, Portugal é um país sem regiões geográficas, ao contrário, por exemplo, de Espanha e a regionalização que devia fazer já está feita nas ilhas. Eu se fosse presidente da câmara iria achar sempre que me estavam a passar um atestado de incompetência quando se falasse na necessidade de dotar determinadas "regiões" de um governo. A regionalização que reconheço é a que foi feita por Passos Manuel, com os concelhos e as freguesias. Como todos sabemos excessiva. Mas quase impossível de mudar devido aos pequenos regionalismos: a tendência não é para reduzir o número de concelhos mas sim para aumentar. Guilherme Pinto pode defender o contrário mas acredito que só o fará num ambiente inócuo, como, por exemplo, num debate deste tipo. Nenhum partido político ousará ter por bandeira o ideal de apagar do mapa municípios. Como não o conseguem, querem alguns dos partidos governos regionais, embora ainda ninguém saiba como pretende "dividir" o país e muitos percebam os perigos de uma tal coisa, terreno fértil para o germinar de bairrismos estúpidos e sem qualquer sentido. Estar a falar hoje da regionalização é, no meu modesto ponto de vista, o mesmo que alguém que está perdido no deserto pedir um copo de vinho em vez de uma garrafa de água. Mas enfim. Quando há ideias em cima da mesa, como foi o caso, podemos perdoar mesmo aquilo que nos parece uma idiotice.

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011