domingo, 16 de outubro de 2011

Narciso vai voltar




PdL está em condições de anunciar que Narciso vai recandidatar-se à Câmara Municipal de Matosinhos.

Fico à espera de uma marcha de indignados com uma certeza: o dux tem toda a legitimidade para querer regressar ao castelo.

Desta vez vou votar nele pois gosto de sumo de laranja.



sábado, 15 de outubro de 2011

Leça é grande, não precisa de junta

Quando Siza Vieira quis fazer a marginal de Leça à sua maneira, alguns leceiros, sobretudo os imigrados em condomínios de luxo, indignaram-se sob o lema "Leça é da palmeira e não do Siza Vieira". Ao que consta, defendiam a plantação de palmeiras na marginal, quiçá para compensar a liamba que desapareceu com os antigos canaviais (ou será canabiais?).
Tal como PdL antecipou, Leça da Palmeira vai perder a sua junta de freguesia.
Nada se perde.
Uma junta de freguesia é uma perfeita inutilidade. Que me lembre, apenas precisei dela para me lembrarem o número do cartão de eleitor.
Leça da Palmeira tem uma história grande e os leceiros não a esquecem. É o mais importante. Manter esta identidade não depende, obviamente, de qualquer junta de freguesia apenas preocupada na manutenção de um pequeno poder. Compete a cada um de nós, leceiros, manter Leça da Palmeira tal e qual ela é, ou seja, um lugar com história, com identidade, com referências e com futuro.
A junta não era nem nunca foi um facto de fomento, foi sempre um obstáculo à iniciativa pessoal dos leceiros.
Vamos deixar de ter esse obstáculo.

Bendita reforma administrativa!

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

SOMOS LEIXÕES


No Facebook, eis um grupo muito interessante:
http://www.facebook.com/#!/groups/somosleixoes/

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Mar Nosso

Matosinhos tem uma iconografia muito associada ao Mar.
Aliás, durante muitos anos os seus naturais sentiam-se orgulhosos quando eram tratados por peixeiros. Hoje, nem por isso...
A comunidade foi-se desligando o mar e o mar deixou de ser a base da economia local. A atividade mercantil do porto comercial e a refinaria depressa superaram o viver tradicional. A decadência da indústria conserveira ajudou à festa...
Mas nem por isso Matosinhos perdeu a sua ligação ao mar, bem traduzida no nome do ainda estádio do Leixões, construído muito graças ao empenho dos nossos pescadores.
Temos ainda o Mar Shopping, animando o pólo comercial de Leça da Palmeira, uma rotunda-onda ainda na mesma localidade e uma Anémona que simboliza os perigos do mar implantada quase no jardim de Narciso Miranda.
O mar não "deslarga" Matosinhos. Ainda bem. Há sempre a esperança de que uma tempestade perfeita vinda do mar varra a porcaria que empesta a nossa terra.

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Pimbalhada fora do ar



Lá se foi a Rádio Clube de Matosinhos.
Na minha modesta opinião, nada se perdeu.
Mas há quem entenda o contrário e já esteja com saudades da pimbalhada que o dinheiro dos nossos impostos também patrocinou durante alguns anos.

SIC em Matosinhos



A SIC, ou melhor, o Grupo Impresa instalou-se em Matosinhos. Não sei nem quero saber quanto custaram as novas instalações. Sei que houve um empenhamento grande da nossa autarquia para trazer a Imprensa/Norte para Matosinhos. Matosinhos só tem a ganhar com isso e ponto final.

As freguesias de Matosinhos

O tema parece escaldar mas ninguém fala num novo mapa das freguesias matosinhenses.
A procura excede sempre a oferta deste tipo de lugares e compreendo o embaraço.
Mas a verdade é que Matosinhos podia e devia tomar a iniciativa de partir para uma reorganização paroquial.
Lavra e Perafita, por exemplo, são duas freguesias que nada perdiam em unirem-se.
Bem assim como Santa Cruz e Guifões.
Ou Leça do Balio e Custódias.
E até Matosinhos e Leça da Palmeira, até porque ambas integram a mesma cidade.

Mas ninguém vai querer sequer aflorar este assunto. O jogo das cadeiras ia ficar muito mais difícil e os poderes dos presidentes da junta reforçados. Nem uma coisa nem outra interessam a quem faz da política local a sua carreira.

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

A Boa Nova não é do Siza, é de todos nós




Muitos antes de Siza Vieira se ter apropriado da Boa Nova já este sítio era de todos nós. Como continua felizmente a ser, apesar de quem decide pouco se importar com o que os leceiros em particular e os matosinhenses em geral pensam sobre o assunto.


A Boa Nova já foi um sítio muito mais bonito - como dá para ver - mas a vida é um processo de mudança e só um parvalhão pretenderá que tudo continue tal e qual. A Boa Nova mudou. Já não tem lá o velho farol - resta a base de sustentação - mas a capelinha e os penhascos ali permanecem, lembrando-nos os anacoretas que ali viveram há meio milénio. A Boa Nova também tem a Casa de Chá e ainda bem, sendo apenas pena que a mesma não tenha sido objecto já de um restauro (presumo que o último foi realizado ainda no tempo do dux).


A Boa Nova melhorou também, e muito, com a ligação pela borda praia entre este sítio e o Cabo do Mundo. Só se estranha que tenha demorado tanto tempo até os nossos políticos descobrirem que todo o dinheiro gasto ali não seria debalde, sendo apenas serviço público.


Mas a Boa Nova não tem tudo o que queremos. Não basta fazer passeios e estrada, passadiços e restaurantes. A Boa Nova merecia que a sua memória, e as dos faróis, também pudesse ser conhecido por quem lá vai. Não seria preciso muito. Um simples painel bastaria.




Entretanto, caso estejam interessados aqui vos deixo um link para um trabalho meu sobre este lugar especial e aberto, que muitos de nós gostam de frequentar não apenas para dar quecas mas também para meditar (a ordem é arbitrária).






quarta-feira, 5 de outubro de 2011

BARRA DE NOVO ABERTA




Após um longo interregno, e a pedido de várias famílias, vamos voltar a abrir a barra. O vento começa a ficar de feição para umas tantas caldeiradas.