quinta-feira, 1 de outubro de 2009

O PARADIGMA PERDIDO

Ainda o debate.
A determinado momento, a questão centra-se na habitação social.
É consensual. Todas as forças partidárias querem construir mais ilhas ao alto ou nem por isso. Até Guilherme Pinto, que nada tinha construído no seu mandato, foi ontem lançar a primeira pedra de mais um conjunto de habitações sociais.
Não sei quantas casas se entregaram, nos últimos 30 anos, de mão beijada, a indigentes, traficantes de droga e outros inúteis sociais. Aqueles que realmente trabalham e que têm moral podem estar a ser metidos neste saco mas não têm culpa nenhuma pelo facto de terem sido atirados para ninhos de marginalidade.
É esta a obra do chamado poder autárquico democrático: com o dinheiro dos impostos de quem vai à luta, promover a indigência e desqualificar determinado locais, como aconteceu com o centro de Perafita!
Enquanto for este o paradigma, meus amigos, não vale a pena.
O melhor é mesmo deixar as caravanas passarem. E aproveitar o domingo para ler um bom livro ou para ir à praia com a família aproveitar o que sobra do estio.

É tudo muito deprimente.
Enviar um comentário