sábado, 19 de fevereiro de 2011

AUGUSTO GOMES

Encerrou-se hoje, na "cottage" da Casa de Santiago, o ciclo que assinalou o 100.º aniversário de Augusto Gomes. Sala cheia e boa conversa. Joel Cleto fez as honras da casa - mordomo que se preza é mesmo assim! -, Fernando Rocha informou-nos que foi no seu mandato que mais obras de AG foram compradas pela câmara (parabéns!) e aproveitou para nos informar também que o Quarteto de Cordas e a Orquestra de Jazz de Matosinhos foram seleccionados pelo Ministério da Cultura para um programa de apoio e incentivo (parabéns outra vez!), Manuel Dias da Fonseca deu à sessão o tom poético e emotivo, Alfredo Barros recuperou boas memórias do artista que vivia no seu prédio e António Cunha e Silva disse tudo quando falou de génios e de simples mortais.
Gostei bastante.
Como diz Fernando Rocha, a cultura é sempre investimento.
Enviar um comentário