quinta-feira, 13 de maio de 2010

LEIXÕES MERECE VOTAÇÃO EXPRESSIVA



Quando, há uma semana, expressei aqui uma opinião livre e voluntária, jamais pensei que um gesto tão simples despoletasse um sem número de comentários, dos elogiosos aos insultuosos, passando pelos que, não dizendo nada, parecem dizer muito e acabando nos que cheiram a sinuosa encomenda.
No fundo, sem confundir alhos com bugalhos, o que disse eu? Simplesmente, que o importante é o Leixões e, mesmo a despeito da despromoção desportiva, não dever ser esquecida a recuperação financeira encetada por Carlos Oliveira, algo que rima com rigor e credibilidade, ao contrário de êxitos efémeros, que custam caro e dão curtas alegrias.
Insisto no que já referi: Carlos Oliveira herdou uma SAD desportivamente débil e financeiramente falida. Equilibrou-a no primeiro caso e recuperou-a no segundo. A partir do futebol, tornou todo o clube mais saudável, equilibrado e apetecível.
Será que um desaire futebolístico pode pôr tudo isto em causa? Os adeptos do aventureirismo e dos resultados a qualquer preço dirão que sim. Os que preferem o bom senso e a garantia do amanhã acham que não. Estou neste grupo. Felizmente.
O Leixões S. C. e a sua SAD são dos matosinhenses que neles se revêem. São dos que se riem com os seus êxitos e choram com os seus insucessos. São de uma comunidade piscatória que esquece os perigos da faina nos domingos de vitórias. São de gente simples que gosta de Matosinhos porque Matosinhos é o seu berço e uma das suas razões de ser.
Posto isto, peço que nenhum leixonense fique em casa sexta-feira, 14 de Maio… Então, começa o futuro. E não devemos esquecer que nada está ganho antecipadamente. Até às 19 horas desse dia podem aparecer outras listas candidatas, porventura cheias de promessas mas com bem menos conteúdo, que garantam o sol e a lua mas que nos empurrem para o escuro e o precipício. O passado recente mostra que não devemos deixar para os outros decisões que também nos pertencem.
Repito que, livre e voluntariamente, apoio a Lista A de José Manuel Dias da Fonseca e Carlos Oliveira. Pelo Leixões - simplesmente. E mesmo que alguém, aqui ou ali, assinando com nome pretensamente pomposo, (ou ridículo na cobardia do anonimato) critique a opção, sustentando uma opinião que parece ter-lhe sido soprada e com ela mantendo um lugar para o qual a sua ausência de qualidade não o recomenda.
Teimo em que o importante é o Leixões. E cada voto deve ser contabilizado para que não sejamos surpreendidos quando as urnas encerrarem.

VIVA O LEIXÕES!

Elvira Castanheira
Enviar um comentário