segunda-feira, 3 de maio de 2010

ACONTECEU

A uma jornada do fim do campeonato, o Leixões aparentemente desceu de divisão. A equipa de Castro Santos terá agora de "garantir" o penúltimo lugar, para a eventualidade de abrir mais uma vaga na primeira - casos Naval e V. Setúbal...
Reparo que no facebook já se procuram culpados para o que aconteceu. É estranho sobretudo quando quem procura culpados apenas viu o Leixões uma vez na I Divisão enquanto foi presidente da Câmara e todos sabemos quanto tempo permaneceu no poder...
Depois de uma época excelente, talvez demasiado boa, o Leixões pagou caro o mau planeamento feito para esta época. Não vou dizer que a saída do director desportivo, Vítor Oliveira, é responsável por esse fatal atraso mas ajudou e aí a culpa não será só dele mas de todos os que tinham poder de decisão. Porque uma coisa era o Leixões pensado por quem sabe de futebol -e que, afinal, devolveu o clube à divisão maior - outra, bem diferente, é um homem de negócios com uma agenda preenchida tentar perceber de futebol.
Se quiser ter um lugar firme na I Divisão o Leixões não tem de ter só bons jogadores. Antes dos bons jogadores é preciso contar com quem é capaz de contratar bons jogadores e baratos. E que depois sabe também gerir um balneário, potenciar uma marca e negociar com os grandes do nosso futebol, tirando das camadas de formação tudo aquilo que elas podem dar. Ora, isto só se faz co investimento sério em bons profissionais. Não em chuteiras ou gravatas mas em gente que sabe o que a casa do futebol gasta e que não se deixa enganar facilmente.
Só com boa vontade não chega. Regista-se o esforço mas confirma-se o défice.
Enviar um comentário