domingo, 3 de maio de 2009

ARTE PÚBLICA

Ao ver o deslumbrante "Porto da Minha Infância", de Manoel Oliveira, lembrei-me que também em Matosinhos a arte pública pode ser uma festa. É pena que, no caso dos painéis de José Emídio, que tive o privilégio de ver ainda antes de serem montados, alguém tenha tido a infeliz ideia de plantar árvores à frente dos mesmos. E, como se tal não bastasse, os tais bancos de jardim. A "decoração" que no fundo uma larga maioria imaginou para a marginal desenhada por Siza Vieira em Leça da Palmeira, outro grande momento da cultura matosinhense, numa fusão perfeita de arte, arquitectura e urbanismo.

Enviar um comentário