sábado, 21 de março de 2009

UMA NOITE MUITO NARCISISTA

Ora bem...
Sexta-feira, à noite, enquanto se registava casa cheia no salão nobre da CMM com um concerto memorável de Rodrigo Leão, Narciso Miranda foi o convidado de Joaquim Jorge no clube dos Pensadores, mais uma vez com assento no salão nobre da junta de freguesia de Leça da Palmeira. Cadeiras todas ocupadas e algumas pessoas no "hall", entre as quais alguns elementos da habitual claque do candidato a presidente da CMM, os chamados "colas" que NM terá muito dificuldade em sacudir da sua órbita.
No seu estilo livre, frontal, directo e nem sempre compreendido, JJ apresentou o convidado, colocou-lhe várias perguntas e parece ter saído frustrado porque a maior parte delas não foi respondida.
Narciso Miranda fez o seu comício e as perguntas que saíram da plateia não foram as mais felizes, sobretudo quando alguém se queixou do barulho provocado por um cão e outro reclamou um abrigo para os pobres em Matosinhos como solução para o seu problema pessoal.
Eu estava ali apenas para ver o que dava mas o JJ deu-me a palavra. Pelos vistos não fui politicamente correcto pois questionei NM sobre os seus 26 anos de mandato, surpreendido com o facto de o agora candidato não ter elencado erros, imputando estes apenas à actual equipa que ocupa a casa amarela. Equipa que, na minha opinião, também fez coisas boas. Desafiei ainda Narciso a pôr "os nomes aos bois" e não apenas a lançar críticas para o ar. Debalde. NM não estava muito para aí virado e a única resposta concreta que me deu foi sobre a situação da Petrogal. Narciso revelou que a refinaria esteve mesmo para ser desactivada e que a sua proposta para o local passava por um parque temático. Um grande parque temático, tendo em conta uma área igual ou superior à malha urbana de Leça da Palmeira. Disse ainda Narciso que um dos seus melhores mandatos aconteceu quando não tinha maioria absoluta, o que não deixou de ser uma mensagem subliminar, pois parece que já percebeu que vai ganhar as eleições mas que não terá maioria absoluta, precisando de se aliar a outra força para governar sem problemas, caminhando para os 30 anos como líder da autarquia matosinhense. Disse também Narciso que antes e depois de deixar de ser presidente da Câmara foi aliciado com vários convites, entre os quais um da Efacec e outro da Exponor. O seu lema é, ficou a saber-se, "reconquistar a força e a alma de Matosinhos", depois de "ter deixado a Câmara com os cofres cheios" e de se preparar para a encontrar "com os cofres vazios". JJ acabou algo abruptamente com a sessão e saiu disparado em alta velocidade, não ficando para o rescaldo. Eu fiquei e aproveitei para conhecer melhor a dr. Elvira Castanheira, historiadora que muito aprecio e que admirava à distância, tendo ficado prometido que vou mesmo ler o seu livro sobre os irmãos Passos Manuel. Ainda deu para ir beber um fino com o Modesto e para na volta deparar com um grupo em cavaqueira à porta da junta, ao som de uma banda de garagem que ensaia ali ao lado. Não se pode dizer que foi uma noite perdida. Nunca é quando o assunto dá pelo nome de Clube dos Pensadores. Mas confesso que esperava ver um Narciso Miranda mais contundente e mais preocupado em escutar que em propriamente em repetir frases funcionais do ponto de vista político mas algo ocas de substância. Provavelmente a culpa é minha, pois elevo sempre muito a fasquia e de facto não percebo nada da política que se faz nas "mercearias" deste país.

A caminho de casa, após uma curva mais apertada, choquei frontalmente com este pensamento:
- E se Joaquim Jorge for mesmo o candidato do PSD à CMM, será que consegue bater Narciso?
Enviar um comentário