quarta-feira, 1 de outubro de 2008

SEXO NA CIDADE

Há alguns dias, entrei num prédio de Matosinhos Sul e, perante alguma hesitação, o porteiro fez o favor de me dizer que as meninas estão no 2.º B esquerdo. Por acaso não era para lá que me dirigia... A cidade está cheia de "massagistas" e podemos ter a sorte, ou o azar, de um dia nos calhar uma ao pé da porta. É todo um mundo aparentemente fascinante a fazer fé nos anúncios dos jornais. Mulheres escaldantes, quarentonas gulosas, gordinhas baixinhas, muito meiguinhas sozinhas, quarentonas meigas de bumbum e peito grandes, cabritas sem pressa, indianas, japonesas, romenas e, para quem não se satisfaz apenas com acrobacias, meninas mulher cultas e gulosas. Os preços variam entre as 25 e as 200 rosas, o que não é muito dinheiro se quisermos ficar a saber finalmente o que é um pingulin grande! É todo um mundo de mulheres sensuais, meigas, simpáticas, sem pressa, jovens, ardentes e experientes - enfim, tudo o que normalmente não temos em casa - e com diversos estatutos sociais: casadas, divorciadas, solteiras, universitárias... Tenho procurado (nos anúncios, claro) mas ainda não vi oferta de virgens. Presumo que foram todas requisitadas por Alá, para receberem os bombistas que entram em ignição na perspectiva de um pingulim imaculado. Melhor só mesmo a dominação oferecida (grátis mesmo) com "disciplina, fétiche e masmorra". Ainda bati no 2.º B esquerdo mas não era lá.
Enviar um comentário