domingo, 30 de julho de 2017

Os situacionistas


Nos tempos que correm é fácil e até tentador confundir os situacionistas com os oportunistas. Mas são espécies completamente diferentes. Vou tentar explicar.
O situacionista é aquele que está há algum tempo instalado na sua posição. Pode não ter um grande vencimento mas também não tem muito trabalho. Chega para as francesinhas. Por isso, tem medo da mudança e arrisca muito pouco. Mas é sempre o mais feroz defensor da situação, sobretudo quando sente que algo pode mudar. Podemos bem com eles.
O oportunista é bem mais perigoso. Arrisca mais, sobretudo quando tem pouco a perder. Assume de imediato o papel de fiel devoto de qualquer causa mas logo que se sente seguro transforma-se num bicho difícil de dominar. Porque, afinal, um verdadeiro oportunista está sempre à procura de oportunidades. É fugir deles, o que não é fácil.
Mas o pior de todos é o situacionista/oportunista. Pode parecer um paradoxo face ao exposto. Mas esta categoria diz respeito àqueles que nunca sabem se há tem ou não "h" e que mesmo assim arriscam. São uma espécie de sacristão que quando acólito já sonhava ser bispo. Têm-se numa conta muito elevada e ninguém o devia levar a sério embora os oportunista situacional ou o situacional oportunista detestem que brinquem com eles. Marquem-nos e evitem-nos ao máximo, é o concelho que dou, perdão, o conselho.


Enviar um comentário