sexta-feira, 7 de julho de 2017

Algo não vai bem no reino da Dinamarca


Não tem sido uma semana fácil para a candidatura do PS e nem o colinho do Quim Barreiros pode compensar o que está a acontecer. Agora foi a vez de Manuel Leão, porta-voz do Movimento Guilherme Pinto Por Matosinhos" na assembleia municipal, agitar as águas. O quadro da Petrogal estranha a indignação de Eduardo Pinheiro e Palmira Macedo pela alegada usurpação por Narciso Miranda do nome deste movimento para a sua candidatura como independente. "Estranho a posição agora assumida por Eduardo Pinheiro [presidente da câmara] e Palmira Macedo [presidente da Assembleia Municipal] a propósito da usurpação do nome do grupo por outra candidatura aos órgãos autárquicos matosinhenses, tanto mais que as pessoas em causa chegaram mesmo a reunir para apresentar uma candidatura alternativa a Luísa Salgueiro, traindo assim a vontade de Guilherme Pinto de apoiar esta candidata", referiu em comunicado.

O que Leão disse já quase todos sabiam mas o que aqui importa destacar é o facto de ter feito questão de o ter tornado público, ele que está contra "a anexação do grupo pelo PS" sem deixar "qualquer alternativa a quem integrou um projeto verdadeiro e integrador, tendo Matosinhos como única e exclusiva bandeira". Leão, está visto, não quer entrar nesta selva. Sente-se órfão também. Ora, todos sabemos o que um leão zangado pode fazer nesta fase já de algum põe-te a mexer em que a moda são as calças vermelhas.


Enviar um comentário