quinta-feira, 20 de julho de 2017

A cidade surpreendente


Gosto de caminhar pela cidade e sou sempre surpreendido, mesmo nos sítios onde passo mais vezes. Hoje, por exemplo, queria colocar no lixo um defunto maço de tabaco e fiquei naturalmente baralhado. Mas lá acabei por ver se não havia qualquer fiscal por perto e cumpri o meu dever cívico, o segundo, claro, depois de deixar no estado a maior percentagem do valor do vício diário.
Dei mais uns passos e mais uma revelação. Em primeiro mão posso revelar-vos a razão do caos que vai por aí na recolha do lixo: os carros da Ecorede ainda estão no Porto de Leixões!



Enviar um comentário