domingo, 23 de junho de 2013

ADN Narciso

O que está a dar é zurzir em Narciso Miranda e António Parada por se terem conluiado depois de um longo noivado. Todos sabemos que Parada esteve do lado da barricada de Seabra contra Narciso Miranda, Guilherme Pinto e Henrique Calisto. Seabra ganhou essa batalha mas não conseguiu "matar o pai" por causa de uma infeliz coincidência. A vida seguiu, Narciso cansou-se e saiu e até apoiou Guilherme Pinto na sua primeira eleição. O atual presidente da câmara nunca teria chegado onde chegou se Seabra não tivesse ousado atacar Narciso quando este era dono e senhor do reduto socialista de Matosinhos. Hoje, apesar da grave doença que o afeta, Manuel Seabra encontra-se bem cravado na equipa de António Parada, embora na condição de deputado da nação. Tudo isto apenas para vos dizer que o que está a dar é o que sempre esteve a dar. Ou seja, um mapa político de Matosinhos dominado, desde os finais dos anos 70 do século passado, pela personalidade forte, carismática e por vezes ignóbil de José Rodrigues Narciso Miranda. Sempre tive um carinho especial por ele, até quando me quis calar com processos. Reconheço: exagerei um bocadinho, sobretudo quando o tratei por parolo de Barroselas. É muito injusto para Barroselas pois Matosinhos está cheia de parolos e Barroselas não sei porque apenas passei por lá a caminho do "Camelo". O que sei é que Narciso é o pai de toda esta tribo que vive da política em Matosinhos. Foi o modelo, o mentor, o promotor e o autor de todas estas figuras que hoje lhe apontam os piores defeitos mas que se esquecem das virtudes que Narciso lhes ofereceu por vezes numa bandeja. Mas esta gente é assim. Quem se baixa para comer da gamela fica sempre com problemas de coluna. E bom S. João!
Enviar um comentário