terça-feira, 23 de abril de 2013

O epifenómeno José Modesto

José Modesto está hoje para a vida política em Matosinhos como os chorões para o farol da Boa Nova. Ou seja, não se destaca tanto na paisagem mas faz parte dela. Modesto à parte, reconheço alguma responsabilidade minha neste epifenómeno pois sugeri-lhe alguns passos que teria de dar para aparecer na tal paisagem. Por exemplo, comparecer às assembleias municiais. Hoje, não há assembleia municipal ou de freguesia que não conte com um discurso do José Modesto. Uma figura da política matosinhense que já deu entrevistas às televisões, foi manchete no "Jornal de Matosinhos", perdão, e que agora volta à carga no "Jornal Audiência". O Modesto é do PSD mas pouco. Acho que ficava bem melhor no PS pois está visto que em Matosinhos só tem futuro quem pertencer à mercearia, que o diga a amiga do Carlos Alberto. Modesto vai longe e, modéstia à parte, bem merece pois, à sua maneira, se calhar um bocado naif, exerce o que podemos chamar cidadania. É um cidadão interessado, empenhado e entusiasmado. Acredito que um dia vou votar nele e espero que seja eleito e tenha para mim um lugar qualquer na Boa Nova, quiçá a guardar os chorões.

PS - A "Onda" está aí. A Guilherme Pinto só falta mesmo a prancha para mergulhar no etc.
Enviar um comentário