sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

A VIDA QUE TEMOS

Este país é mesmo surpreendente.

O primeiro-ministro fez questão de abrir os telejornais, ontem, para sublinhar o que considera 3 verdades.
Acabou a falar de falsidades.
Da cabala (ou do robalo) montada em Aveiro.
Das radiações solares.
Das deambulações que deviam ficar "cofinadas" ao seu círculo de poder, povoado por "boys" que fizeram o tirocínio na juventude partidária lá do sítio que tiveram percursos meteóricos em diversas administrações públicas e semi-públicas.
Depois, temos o Mário Crespo a vender t-shirts na AR.
José Manuel Fernandes a explicar o que Belmiro já tinha explicado numa recente entrevista, isto é, que é bom rapaz, faz muitos twites mas tem pouco jeito para vender jornais.
Para ajudar à festa, Rangel propõe que se comecem a preparar as crianças para uma profissão aos 12 anos. Presumo que está a falar de políticos e não de sapateiros.
O que sobra é a espuma dos dias.
É a inteligência do Ruben Micael naquele livre que deu o 2-1 ao FC Porto.
É o FC Porto-Sp-Braga que aí vem.
O Medina Carreira.
O cone de amêndoa do McDonald's.
O Ferreira Fernandes a fingir que não se passa nada.
O senhor da AMI a declarar já a situação de calamidade pública ao candidatar-se à presidência não se sabe bem de que República.
O Narciso nos "Ídolos" a querer aparecer na fotografia.
O Guilherme Pinto desaparecido em combate sem conseguir rematar a marginal do Cabo do Mundo.
Guilherme Aguiar entretido com a conversa da treta.
E o Inverno que nunca mais acaba.

Bem, o caso é sério. Vou pedir o rendimento mínimo, o telefone da Tele Pizza e enfiar-me debaixo dos cobertores até sentir algum calorzinho.
Enviar um comentário