domingo, 20 de dezembro de 2009

UM DESABAFO

Como sou pela transparência, posso revelar que este mês descontei 2500 euros para a máquina fiscal e para a segurança social. Mas a minha contribuição para o Estado, as obras públicas e os vencimentos dos deputados não ficou por aqui. Há poucos dias a Indáqua deixou-me na caixa do correio uma factura que ronda os 1000 euros, pela ligação ao saneamento público que finalmente foi instalado na minha rua. Confesso também que não tenho mil euros para cobrar esta dívida. Mas confesso também a minha perplexidade pelo facto de me cobrarem 1000 euros por uma caixa de ligação externa que não terá custado nem mais nem menos que aquela que instalei no interior da minha casa (150 euros). Estou agora na expectativa para saber a que dizem respeito os outros 850 euros. Ou será que terei direito a privatizar parte da minha rua ou a alugar a conduta que passa à minha frente? Eis o Estado providência em todo o esplendor e também a consequência da demissão do mesmo nas obras essenciais, aquelas nas quais o efeito dos nossos impostos se devia repercutir. Quem "vendeu" o serviços municipalizados de águas e saneamentos de certeza que não recebe cartões de boas-festas como este que eu recebi.

Pobre país.
Enviar um comentário