quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Matosinhos Hoje - 16 anos de passado. E o futuro?



Há 16 anos nasceu o “Matosinhos Hoje” para Matosinhos. Hoje, só poderá continuar se Matosinhos quiser.

Retirado do texto do Sr. Joaquim Queirós no Matosinhos Hoje

Fui um leitor assíduo e fiel do Matosinhos Hoje, durante muitos anos. As notícias do meu Leixões que na altura eram escassas na imprensa nacional, bem como a "Ocidental Praia" do Eugénio, a última página do grande Alberto Gonçalves, os colunistas como Magalhães Pinto, Artur Ribeiro, Heitor Ramos, Isabel Lago, Honório Novo, etc. Fizeram durante anos, parte da minha vida.


Já o referi inúmeras vezes, o Sr. Joaquim Queirós por quem eu passo quase todos os dias, mas não tenho o prazer de conhecer, apesar de ele ser amigo de outros campeonatos do meu pai. Dizia que... O meu respeito e admiração pelo Sr. Queirós, deve-se à sua carreira profissional, jornalística e principalmente à Gazeta dos Desportos, jornal que geriu e era uma montra nacional do meu Leixões (eu já escrevi que pelo Leixões também perco a razoabilidade, por isso, deixem-me regozijar por haver alguém como eu, há mais anos que eu e com muito mais importância que eu).


Eu não concordo com o estilo do Matosinhos Hoje, acho-o demasiado dependente da Câmara e das direcções do Leixões Sport Clube ou agora a SAD.

Acho que Matosinhos, não se resume à acção da Câmara Municipal e dos seus protagonistas, Matosinhos, não pode ser só de quem está no poder e colunas de opinião não chegam. É preciso divulgar outros actores. Acho que Matosinhos, tem muito mais para dar em termos de iniciativas privadas que devem ser divulgadas. Gente boa que faz e sem andar a apregoar o que fez.


Recordo que me incomodou na última vez que comprei o jornal que mais de metade das fotos, tinham a presença do Presidente da Câmara de Matosinhos (nas restantes, mais de metade tinham os vereadores ou o presidente da Leixões SAD.), Matosinhos será só isto?


Matosinhos Hoje, passe o abuso de utilizar o nome do jornal, precisa de reconhecer uma nova identidade. Não somos mais o Matosinhos de há 16 anos, mudamos muito e quem souber acompanhar a evolução (eu ainda lhe chamo só (má) alteração, mas fica bem falar bonito) vai sobreviver, os outros ficarão pelo caminho.


Ao escrever este texto aqui, não o faço por este espaço ser de quem é, mas simplesmente por ter uma evidência muito maior que o meu Matosinhos OnLine e eu acho que a merece.


O Sr. Joaquim Queirós, a sua família e tudo o que deram e dão ao jornalismo Nacional e regional, merecem continuar. Mas nós, também merecemos um jornalismo mais isento e menos "endeusador" de personagens que de Deuses, têm muito pouco.


Posso dizer que após um fase de divórcio, voltarei a comprar o Matosinhos Hoje, quero que ele continue a existir e acho que é o meu dever de matosinhense fazer por isso. Mas atenção... Vou cobrar mais independência.


Abraço
Enviar um comentário