sexta-feira, 31 de julho de 2009

UM DEBATE BADALADO

Repescado de "O Badalo", o toque a rebate de Matosinhos hoje e sempre.

“O Badalo” organizou o primeiro de­bate entre os candidatos à autarquia de Matosinhos. Confessamos que não foi fácil convencer Guilherme Pinto (PS), Narciso Miranda (indepen­den­te), Guilherme Aguiar (PSD), Ho­nório Novo (CDU), Fernando Quei­rós (Bloco de Esquerdo) e Eugénio Queirós (Partido A). O debate ocorreu no farol da Boa Nova e foi transmitido pelo canal 197 da Zon TV Cabo. A moderação esteve a cargo do nosso colaborador Her­culano Poeira.
HERCULANO POEIRA - Boa noite, senhores candidatos, muito obrigado por estarem aqui para debater as autárquicas de Matosinhos e para falar da nova temporada do Benfica.
NARCISO MIRANDA - De nada. Eu por Matosinhos estou disposto a tudo, mais a mais num debate organizado por um jornal chamado “O Badalo”.
GUILHERME PINTO - Tal como o meu camarada...
NARCISO MIRANDA - Perdão, camaradas têm as putas.
GUILHERME PINTO - Precisa­mente.
NARCISO MIRANDA - Estás a insinuar alguma coisa?
HERCULANO POEIRA - Meus se­nhores, moderem-se, as vossas res­pon­sabilidades democráticas e civis são enormes e este debate tem de ter elevação não apenas pelo facto de estar a ser realizado no topo deste magnífico farol.
HONÓRIO NOVO - Esses senhores são uns faroleiros!
EUGÉNIO QUEIRÓS - Desculpem qualquer coisinha mas vamos beber água apenas durante todo o debate?
FERNANDO QUEIRÓS - O bloco está consigo, caro homónimo. E não se pode fumar?HERCULANO POEIRA - Meus amigos, um ponto de ordem: as be­jecas vêm a caminho e vou já abrir este postigo para que possam cacilhar, se ninguém se opuser, claro...
NARCISO MIRANDA - Eu estou contra. Sou um desportista e o fumo poluí.
EUGÉNIO QUEIRÓS - Se calhar tem razão. Tá nordeste e as chaminés da Petrogal estão a debitar em força.
GUILHERME PINTO - Meu caro amigo, para além do facto de ter vindo de calças de ganga e sapatilhas para este encontro tenho a dizer-lhe que não percebe nada de ambiente. A Pe­tro­gal polui menos que os moradores da Rua do Progresso.
FERNANDO QUEIRÓS - Essa rua não existe em Matosinhos!
NARCISO MIRANDA - O senhor não conhece esta cidade, temos ruas, avenidas e becos para tudo e mais alguma coisa. Lembro que fomos a primeira cidade portuguesa a dar o nome desse grande combatente cha­mado Chalana Gusmão a uma avenida do nosso concelho.
EUGÉNIO QUEIRÓS - Xanana.
NARCISO MIRANDA - Está a chamar-me chalado? O menino é muito malcriado, não sai nada ao seu paizinho, você é um insurrecto...
EUGÉNIO QUEIRÓS - Dispenso elogios da sua parte, só gosto de si quando faz queixa de mim para a Alta Autoridade para a Comunicação Social ou quando me cita em prefácios dos seus livros...
HERCULANO POEIRA - Bem, es­távamos a falar de ambiente...
GUILHERME PINTO - Precisa­mente. A esse propósito, tenho ainda a acrescentar que Matosinhos foi uma das primeiras cidades a selar o seu aterro sanitário.
HONÓRIO NOVO - É pena.
GUILHERME PINTO - Porquê?
HONÓRIO NOVO - Selaram-no mui­to cedo. Esqueceram-se de algumas pessoas.
GUILHERME PINTO - Sou obri­gado a concordar consigo.
NARCISO MIRANDA - Essa é para mim?
GUILHERME PINTO - Não, é para o José Rodrigues.
NARCISO MIRANDA - Olha lá, ò meu chorão, já te esqueceste que fui eu que te dei emprego quando anda­vas para aí nos tribunais a defender merceeiros e esticadores? És um in­grato, se eu ganhar, como vou ganhar, vais ser chefe dos contínuos.
GUILHERME PINTO- Isso já sou.
HONÓRIO NOVO - É esta a política que se faz em Matosinhos, a politi­quice dos tachos...
GUILHERME PINTO - Isso dos tachos é com o Nuno Oliveira, que foi dele a ideia do Mar à Mesa.
EUGÉNIO QUEIRÓS - Bem me parecia que o miúdo era um idiota, tem ideias!
GUILHERME PINTO - Está a in­sultá-lo?
EUGÉNIO QUEIRÓS - Nem por som­­bras, tenho muito respeito. E acho essa ideia das esplanadas fan­tás­tica, só é pena não haver dança do ventre de imediato e só no dia seguinte.
FERNANDO QUEIRÓS - O bloco é contra a exploração das dançarinas de dança do ventre e entende que essas barracas na rua são uma agressão am­biental, bem assim como os fo­gareiros...
NARCISO MIRANDA - Concordo com a parte dos fogareiros.
GUILHERME AGUIAR - O PSD entende que está a ser discriminado neste debate.
HERCULANO POEIRA - O me­ni­no não pode falar pois caiu no cal­deirão quando era pequenino e se começa a falar mais ninguém fala. Continue aí nesse cantinho a deixar crescer o bigode, para ver se não o confundem com aquele dos pro­gramas desportivos da televisão.
GUILHERME AGUIAR - Eu queria dizer que em Gaia...
HERCULANO POEIRA - Perdão mas estamos a falar de Matosinhos e de Portugal. O debate sobre o Burki­na-Faso é na próxima semana.
EUGÉNIO QUEIRÓS - Queria fa­zer um anúncio aos matosinhenses.
HERCULANO POEIRA - Força.
EUGÉNIO QUEIRÓS - Queria ga­rantir aos matosinhenses com mais de 15 anos e menos de 30 do sexo feminino, com peso máximo de 60 quilos, que se for eleito presidente da Câmara o meu gabinete estará sem­pre aberto e que aí poderão desfrutar de home vídeo, bar aberto, insufláveis...
NARCISO MIRANDA - O menino é um ordinário. Não vale copiar-me, aliás estou farto de ser plagiado...
HERCULANO POEIRA - Era o que eu temia. Aviso já que o próximo que mijar fora do penico é atirado borda fora.
FERNANDO QUEIRÓS - O bloco está solidário consigo, senhor mode­rador. Esta é a prova provada que Matosinhos precisa de novos políticos e de novas políticas.
EUGÉNIO QUEIRÓS - Matosinhos precisa é que o deixem em paz.
NARCISO MIRANDA - É no que dá aceitarem anarquistas nestes debates.
EUGÉNIO QUEIRÓS - Quem lhe disse que eu sou anarquista?
NARCISO MIRANDA - Ora, PA, calças de ganga, sapatilhas sujas...
EUGÉNIO QUEIRÓS - Pois fique a saber que PA quer dizer apenas pa, que é o início de pá p...
HERCULANO POEIRA- O menino está com vontade de voar sem asas?
EUGÉNIO QUEIRÓS - Por acaso até bebia uma Red Bull.
HONÓRIO NOVO - O comité cen­tral da CDU, reunido na Adega Ama­rela, decidiu fazer de Matosinhos uma república socialista e prometemos construir um muro com dez metros de altura e arame farpado electri­fi­cado em redor dos limites concelhios.
NARCISO MIRANDA - Isso vai cus­tar um balúrdio, já tentei mas tive de reciclar o material nas torres da Facar.
HONÓRIO NOVO - Não vai custar nada, sobrou muito material de Berlim.
FERNANDO QUEIRÓS - O bloco está contra qualquer tentativa de sovietização de Matosinhos e promete que na Feira da Senhora da Hora estarão em breve à venda camisas tipo Francisco Louçã e pullovers à Miguel Portas.
EUGÉNIO QUEIRÓS - E também tampões da Ana Drago?
FERNANDO QUEIRÓS - Recuso-me a comentar.
NARCISO MIRANDA - O Movi­mento Matosinhos Sempre nada pro­mete. Eu é que prometo. Prometo mais 26 anos de governação moderna, com muita tesão!
HERCULANO POEIRA - Perdão?
NARCISO MIRANDA- Com isso mesmo. As pessoas conhecem-me sabem que comigo não há duas sem três.
EUGÉNIO QUEIRÓS - Ah garanhão!
NARCISO MIRANDA - Ainda bem que finalmente concordas comigo.
EUGÉNIO QUEIRÓS - Sabes que gosto de ti e que te acho piada. O teu problema é que andas sempre ro­dea­do de idiotas.
NARCISO MIRANDA - Já te convi­dei dez vezes...
EUGÉNIO QUEIRÓS - Ok, tens razão, mas não acho nada interes­san­te ser vereador das casas de alterne da Rolberto Ivens e de S. Roque,
NARCISO MIRANDA - E que tal se­res vereador das tascas e dos urinóis?
EUGÉNIO QUEIRÓS - Agora dei­xas­te-me a pensar.
GUILHERME AGUIAR - O gajo pensa...
HERCULANO POEIRA - Shiu, tu aí está calado, continua a contar os grãos de areia da praia de Leça...
GUILHERME AGUAR - Tá um ne­voeiro do c...
HERCULANO POEIRA - Por falar no nevoeiro, parece que vem ali alguém.
FERNANDO QUEIRÓS - É o Sócrates.
GUILHERME PINTO - O meu camarada, finalmente.
EUGÉNIO QUEIRÓS - O gajo está a fugir para a praia do Aterro e a dar sinais de luzes!FERNANDO QUEIRÓS - Pensei que tinham acabado com aquilo.
HERCULANO POEIRA - Meus ami­­gos, estou a ver que isto não dá na­da, vou passar a emissão para o Janeco.
Enviar um comentário