terça-feira, 21 de julho de 2009

TENHAM VERGONHA!

Todos sabemos como este é um Mundo de compromissos e comprometimentos. A esperança, a esse nível, é apenas residual.
Ainda assim, sobra-nos a capacidade crítica. Não é que seja um arma, como a cantiga no PREC, ou a marijuana, nos anos 80. Vale o que vale e assume-se sobretudo como catarse. Ou seja, alivia mas nada muda.
A minha meia-de-leite e o meu pão com manteiga de hoje foram sobressaltados por uma não-notícia. Numa página onde surgia um anúncio do jantar de aniversário e apoio à candidatura de Narciso Miranda, ao preço de promoção de dez narcisos, nova moeda do concelho de Bouças, o JN mais uma vez tomava as dores do dux ao anunciar que a Comissão Nacional de Eleições deixou um aviso ao actual executivo da Câmara Municipal de Matosinhos, a propósito do carácter promocional de panfletos, cartazes e revistas. Lida bem a história conclui-se que a CNE considerou IMPROCEDENTE a queixa apresentada por alguém que a notícia não esclarece mas que se supõe afecta à oposição dos homens que estão no poder.
Vista a coisa do ponto de vista etnográfico e antropológico, não deixa de ter a sua piada e apenas confirma o jornal da Gonçalo Cristóvão como um órgão afeito a este tipo de lances, agora que inesperadamente virou o bico ao prego em relação a Rui Rio, sendo um dos primeiros bastiões a conformar-se com a impossibilidade técnica de Elisa Ferreira destronar o organizador das corridas da Boavista e dos voos dos aviões da Red Bull.
Como diria um conhecido humorista, não havia nexexidade. Ao contrário do que pensam os ratos das redacções, a vida nas tascas não se resume à discussão futebolística. E a pior propaganda que se pode fazer, às vezes, é mesmo a que resulta do excesso de zelo. Tanto mais que o eventual queixoso é aquele que menor moral tem para se queixar deste tipo de coisas pois quando esteve no pelouro também "adjudicou" meios autárquicas para a promoção indirecta da sua recandidatura.
Enviar um comentário