domingo, 28 de junho de 2009

JOSÉ LEIRÓS - o manifesto

Hoje, em Leça do Balio, José Leirós apresentou-se mais uma vez como candidato à junta local. Quando ali cheguei, para lhe dar um abraço, já ele tinha falado mas consegui recuperar o discurso. Deu ainda para ouvir Guilherme Aguiar falar longamento do seu projecto para Matosinhos mas não foram tantas as ideias que me impressionaram mas sim o entusiasmo que verifiquei. Dá para perceber que os "laranjas" desta vez não vão apenas a eleições para compor o ramalhete.

Fica aqui o manifesto do meu amigo Vilela, um homem da terra que merece uma oportunidade:
"Quando em 2001 me candidatei às Eleições aqui em Leça do Balio, o PS dizia que uma vez mais nós seríamos a poeira. Que não ficaríamos aqui. Que iríamos embora após o acto eleitoral e que não queríamos saber da população nem da freguesia. Diziam eles, nos seus estados gerais, no restaurante aqui em Leça do Balio, que o árbitro era para estar dentro do campo de futebol. Era, a continuidade das suas falácias, das suas mentiras e das suas imposições aos seus candidatos escolhidos. Oito anos depois, a prova é mais que evidente. Nós continuamos aqui. Nós não fomos a poeira desejada, mas sim a tempestade de ideias e acções que não permitiram que eles gerissem os destinos da Vila a seu belo prazer. Nós nunca baixamos os braços. Eles queriam um jogo sem regras, mas nós não deixamos. Fomos nós que defemos a população e os valores desta Vila. Denunciávamos quando eles não queriam cumprir as regras que prometeram. Incomodávamos sempre quando queriam governar sem oposição. Nós Continuamos. Nós fomos a Oposição. Nós fomos sempre os reguladores da Verdade. Nós, nesse tempo sempre denunciamos. Escrevemos ao presidente Jorge Sampaio e aos ministros do governo de Durão Barroso a solicitar a intervenção. Tivemos sempre resposta, quer do Presidente da Republica, quer dos ministros respectivos. Estou aqui hoje oito anos depois o que demonstra que nós falamos verdade. Quando dizíamos que estávamos aqui para ficar a prova é hoje mais que evidente.
Quem começou em 2001 volta a estar aqui em 2009. Pelo meio ficou quem estava em 2001. Quero também homenagear e recordar aqui e agora os candidatos meus antecessores desde 1975 o Ângelo Santos, o Boucinha, o Rogério, o Fernando Albuquerque, a Fernanda Maia e Arnaldo Tasca pois hoje também sei e reconheço a dificuldade que é lutar em prol da população com o partido Socialista no executivo.
Esta Vila, esta Freguesia tem passado. Tem Homens e Mulheres ilustres que deixaram a sua marca. Recordando o nosso passado de mais de mil anos estamos a preparar o futuro. Recordo aqui hoje e agora o Professor Vieira de Carvalho, ilustre filho desta terra, que dignificou o nome dos autarcas, dignificou o seu nome com obra e trabalho no Concelho aqui ao lado. O saudoso professor Vieira de Carvalho também esteve aqui comigo na sua terra em 2001. E é esse legado de encorajamento que ficou e que fez com que ficássemos porque nós sempre falamos verdade. E foi a falar verdade que estivemos neste último ano. Sempre dissemos que os candidatos de Matosinhos seriam apresentados após o acto eleitoral das Europeias. Cada tempo e cada minuto no seu lugar. E cá estou aqui hoje a apresentar-me perante vós, pois somos diferentes daqueles que prometem e não cumprem. Quem não falou verdade foi o Partido Socialista, porque ao longo destes últimos mandatos, mentiu à população. Não falou verdade quando disse que a Guarda Nacional Republicana não sairia de Leça do Balio. Não falou verdade quando disse que o quartel seria construído. Voltaram a não falar verdade quando diziam que tinham um terreno para construir o Centro de Saúde. Agora preparam-se para num acto de propaganda arranjar não a solução, mas sim uma soluçãozita para os problemas de saúde da Freguesia. Vão abrir uma unidade local de saúde, que é uma extensão do centro de saúde, num espaço pequeno e que não foi construído de raiz para esse efeito. Quanto à GNR, ela foi substituída pela PSP e instalaram o Posto num local que era o Posto de Enfermagem. E este posto tem apenas um ou dois efectivos e só funciona de 2ª a 6ª feira no horário do expediente. Ou seja, ficamos sem GNR, ficamos com menos patrulhamento e ainda por cima sem possibilidade de apresentar queixa ou exigir mais segurança à noite e ao fim de semana. A nossa população tem diversas carências e não têm transportes públicos adequados e suficientes para as suas deslocações. Imaginem como os mais idosos e mais carenciados deslocam-se da Ponte da Pedra, da Pedra Verde, da Agra, de Pontelhas, de Monte Grande, de Custió, para chegarem ao Posto da PSP. O PS sempre ao longo deste tempo foi aproveitando as nossas ideias e os nossos projectos e propostas. Salutar e é a prova de que estamos preparados para formar executivo. O pouco que se fez, quer em Cultura ou divulgação da nossa Terra, tem a marca das propostas sociais-democratas. Fomos nós que exigimos e que lutamos para que o Vereador Fernado Rocha fizesse a comemoração merecida dos mil anos do Mosteiro, sem nós sem a nossa persistência nada tinha feito. As poucas obras que se fizeram tem a chancela escrita e assinada pelos autarcas da coligação. Oito anos volvidos e após exaustivo levantamento dos problemas da Freguesia, estamos em condições de implementar projectos que não se ficam pelos aspectos mais superficiais e visíveis, mas sim projectos que visam solucionar os problemas estruturais de fundo que afectam Leça do Balio como por exemplo a Habitação. Muito há a fazer aqui em Leça do Balio. Poderia dar inúmeros exemplos, mas hoje só vou dar um apenas. Dizer-vos com desgosto que ainda há pessoas a viver na nossa Vila, sem o mínimo de condições de habitabilidade. Há ainda inúmeras ilhas habitacionais neste Freguesia. Há ainda diversas habitações que não devem continuar a existir.
Onde? No Monte Grande, no Araújo, em Custió, em Recarei, no Monte da Mina, na Pedra Verde, em São Sebastião e na Santana. Outro problema é o Desemprego. Quantos habitantes de Leça do Balio estão desesperados e desempregados? É caso para perguntar, a quem esteve no poder ao longo destes anos, onde está o prometido Parque Industrial entre as freguesias de Custóias e Leça do Balio? Desafio também o presidente da Junta a antecipar o Verão Cultural. Lanço-lhe aqui um repto, que termine a entrega de prémios antes das eleições legislativas, pois não vai em campanha eleitoral, juntamente com o Guilherme Pinto entregar os prémios e lembranças às Colectividades, ás Associações Culturais e Desportivas, à Comunidade cristão, pois isso é deselegante e funcionará como campanha eleitoral. Se não fizer a antecipação deve ter a coragem democrática de convidar todos os candidatos dos partidos e das coligações e independentes a participar também na entrega de prémios. Em Matosinhos chegou finalmente a hora da mudança. Fomos felizes e tivemos a escolha acertada.O Dr. José Guilherme Aguiar, que é bom recordar, também esteve aqui em 2001, no lançamento dos projectos e das políticas que íamos adoptar nesta Vila. Esteve presente, todos o viram, todos o ouviram e a comunicação social divulgou. Por isso, eles dizerem que ele não é de cá, é uma estratégia politica. É normal, que aqueles que estão de mão e chapéu estendido ao poder, digam isso.
Mas, o que é verdade, e é o que vai ser normal nos próximos tempos, é nos todos vermos o nosso candidato á Câmara Municipal, propor a base da mudança. Vai ser normal vê-lo a trabalhar nos projectos para o concelho e para esta Freguesia, porque nós só prometemos aquilo que pudemos cumprir e por isso só apresentarei todas as propostas para esta Vila, após o estudo dos projectos com o futuro presidente da Câmara Municipal. E podem crer que isto não são apenas palavras de circunstância.São projectos viáveis que vão colocar a nossa Freguesia no pelotão da frente no que concerne à Qualidade de Vida. Pode, o Dr. José Guilherme Aguiar, contar com estes homens e estas mulheres, para o ajudar a concretizar o projecto de mudança e de melhoria da qualidade de vida de Leça do Balio e de Matosinhos.
Viva Leça do Balio! "
Enviar um comentário