terça-feira, 13 de janeiro de 2009

BANDEIRA AZUL


O concelho de Matosinhos vai ter, na próxima época balnear, nove bandeiras azuis nas suas praias, triplicando o número de áreas contempladas por aquele certificado de qualidade ambiental. Mas as zonas fronteiriças continuam excluídas. Esta quinta-feira, Matosinhos vai acolher uma reunião dos responsáveis da Bandeira Azul com os municípios do Norte, para fazer um balanço do programa e preparar a época balnear. O encontro desta associação, anunciado pelo presidente da Câmara, Guilherme Pinto, foi mote para o autarca adiantar que, "neste ano de 2009, Matosinhos vai triplicar o número de bandeiras azuis, que passarão a ser nove no concelho". "Isto significa um salto substancial, no começo da segunda época balnear em que não temos na nossa orla costeira qualquer análise negativa", declarou, após ter informado o Executivo autárquico, em reunião privada da Câmara. As nove praias, garantiu ontem, "estão confirmadas pela Bandeira Azul", assegurou, enumerando Pedras do Corgo, Memória, Marreco, Aterro, Cabo do Mundo, Quebrada, Agudela, Funtão e Senhora. Sem aquela certificação ficam as zonas balneares situadas nas "pontas" do concelho, que são as de Matosinhos, Leça da Palmeira e Angeiras. O anúncio das nove bandeiras foi explicado por Guilherme Pinto com o tratamento de esgotos e a taxa de cobertura de saneamento básico em Matosinhos. O autarca voltou a atribuir aos "concelhos limítrofes" a culpa pelos valores negativos de 2004 e 2005 registados no seu município. O problema, nota, foi ultrapassado quando "colocaram a ETAR de Sobreiras a funcionar em condições". No âmbito da requalificação, destacou ainda Guilherme Pinto, foi, ontem, adjudicado um conjunto de obras a serem concluídas "até ao início da época balnear". São elas o Parque de Estacionamento da Praia do Paraíso, os passadiços da orla costeira para ligar a Praia Azul à Praia do Aterro, em Leça da Palmeira, e o passadiço entre a Praia de Matosinhos e a de Leça. "Cerca de uma milhão de euros a acrescentar aos investimentos" existentes que, segundo o presidente da Câmara, totalizam 50 milhões de euros, incluindo Município e particulares.

in JN

PS - Só um breve comentário: isto parece-me uma alegoria sobre as próximas autárquicas pois tenho a sensação que o corgo vai sair das pedras, que o povo vai ter memória e o homem não verá quebrada a antiga ligação com o mundo, levando a cabo uma senhora vitória que irá provocar uma agudela dor no funtão de muita gente, ao ponto destes correrem o risco de ficarem marrecos para toda a vida.
Enviar um comentário