sexta-feira, 24 de outubro de 2008

BULDOGUE


Apanhei ontem, no PortoCanal, um debate sobre o metro com Renato Sampaio, Guilherme Pinto e Costa Amorim. Dois "xuxas" e presumo um social-democrata da linha Menezes que um dia se pegou comigo, ali mesmo, no canal 13, num debate sobre corrupção no desporto. Mas essa é outra estória. Confesso que tinha de Renato Sampaio, líder da distrital do Porto do PS, a ideia de que era um rústico. Estava enganado. O Renato que ali vi é um tipo determinado e que não dá ponto sem nó. O homem a falar do Metro é quase tão bom como o meu amigo Luís Graça a falar de pornografia, ou seja, é insinuante e ao mesmo tempo enciclopédico. Face a uma moderadora ainda a cheirar a dodots mas que não era nada de deitar fora, como começa a ser tradição na nossa televisão, Sampaio validou o andante e tomou conta do programa, com uma ou outra intervenção de Pinto só para confirmar o timbre de 2.º barítono. Costa Amorim ia fazendo contas de cabeça. Foi assim que fiquei a perceber que quem manda no Metro não são os seus utentes mas sim os presidentes de câmara. Basicamente, cada um puxa conforme pode a linha para a sua sardinha. Renato Sampaio sabia do que estava a falar e, no melhor estilo mestre-escola anos 50 de varinha na mão, não deu hipóteses de contestação e zurziu Rui Rio e as suas corridas de automóveis na Boavista. Costa Amorim continuou a fazer contas de cabeça e Guilherme Pinto pigarreou. Continuou Sampaio a toda a brida - claramente numa velocidade superior à do metro que temos, o que também não é difícil - e Costa Amorim lá acordou para dizer que uma derrapagem de uns milhões de contos é coisa pouca pois há quem derrape mais... Com políticos assim estamos feitos! Acabei por mudar de canal, pouco fiquei a saber mas percebi que, afinal, este Renato Sampaio é um "bicho político" de respeito. Não apenas rosna como também morde. Cuidado com ele.
Enviar um comentário