sexta-feira, 7 de julho de 2017

À espera do Eduardo

Há 4 anos e picos entusiasmado apoiante de Nuno Oliveira (um dos desaparecidos em combate, falta saber até quando...), Eduardo Pinheiro irá terminar o mandato como presidente de câmara. Quem trabalha com ele só tem coisas boas a dizer e há uns largos meses falava-se mesmo na possibilidade de ser ele a dar continuidade ao movimento de independentes gizado por Guilherme Pinto. Mas um PS em crescendo e sob a batuta de Pizarro impôs a sua lei e nomeou Luísa Salgueiro, derrotada há 4 anos na lista socialista. Eduardo Pinheiro resistiu e ponderou face à vaga de fundo, mas esta acabou por se afundar face à velha questão do pássaro na mão. Os "independentes" acabaram por entrar como cordeirinhos na sede da Ló Ferreira. O primeiro ministro ajudou à festa e colocou pressão também sobre o autarca, que de um dia para o outro se viu a ser apresentado como número dois de Luísa Salgueiro, para desilusão dos seus admiradores. Com o Eduardo a vitória era certa, era a tese que se defendia. Isso ninguém sabe. O que se sabe é que Eduardo Pinheiro voltou ao PS e segue na sombra do Salgueiro. Mas o que se diz já é que não será por muito tempo. Só até ao fim de setembro. Depois, aconteça o que acontecer tem o seu lugar garantido na administração da APDL, cujo idoso presidente adiou a aposentação que já devia ter acontecido em janeiro. O que consta também é que Eduardo Pinheiro não irá soutinho, perdão, sozinho.

Enviar um comentário